Da arte de tucanar
Albano é notícia na imprensa há vários meses, simplesmente pelo ato da indefinição política, apesar de muitos já saberem para onde vai e o que vai disputar. Ele finge não agir, mas na verdade está agindo e dando gargalhadas.
30/11/2009  04:35


 

 

Quem gosta de política quando faz referência a livros sobre essa “arte”, cita logo Maquiavel, com o seu livro “O Principe” e Sun Tzu com a “A Arte da Guerra”. Ambos abordam o relacionamento do político e suas estratégias.

 

Se vivo e morasse em Sergipe, não teria dúvida, Sun Tzu não só escreveria sobre a arte de tucanar (ficar em cima do muro) de Albano Franco, mas o definiria como um ardiloso político que sabe muito bem os movimentos que faz. Aliás, o que para muitos parece uma falta de definição, para Sun Tzu, com certeza, Albano seria considerado um estrategista ao extremo, capaz de levar seus adversários e os próprios aliados, a pensarem que está “tonto” e “morto” politicamente.

 

De todos os partidos que passou (e olhe que ele transitou bem desde o antigo PDS que deu sustentação ao golpe militar passando por dezenas de outros partidos até chegar ao ninho tucano onde ficou por mais tempo), Albano Franco e o PSDB se completam: a imagem nacional do partido de dubiedade é o retrato fiel de Albano Franco quando a matéria é a política de Sergipe.

 

Albano Franco segue muitas das máximas de Sun Tzu, entre elas a de que “a maior das habilidades é vencer os inimigos sem lutar”. Do seu jeito, pulando de galho em galho, o tucano é adepto da filosofia do agir pelo não agir. Ou seja, Albano é notícia na imprensa há vários meses, simplesmente pelo ato da indefinição política, apesar de muitos já saberem para onde vai e o que vai disputar. Ele finge não agir, mas na verdade está agindo e dando gargalhadas.                                                   

 

A trajetória política de Albano Franco dá um livro com dezenas de páginas. Não se pode calcular se será um Best Seller, mas com certeza despertaria a curiosidade de muita gente, já que “A Arte de tucanar” de Albano Franco deixa muitos políticos de orelha em pé e outros com tremores nas mãos...

 

Obs: só para o leitor não cobrar. Ainda está aberta a aposta, colocada a mesa há vários meses por este jornalista de que Albano Franco não será candidato ao Senado Federal. O tamanho político hoje de Albano cabe muito bem no  cargo atual: deputado federal.

 

No território livre da Internet, o que significa o verbo “tucanar”

Significa mais ou menos “formular declarações fazendo com que o sentido das mesmas se tornem inócuas, utilizando recursos dialéticos que vão do barroco mineiro ao rococó francês”. Traduzindo: evitar ser direto e objetivo dizendo a mesma coisa usando muitas palavras. Frases em Tucanês e seu sentido popular: Leve risco de default: calote; Centro de ressocialização: presídio; Orientador de indecisos: boca-de-urna; Estresse hídrico: falta de água; Estacionamento alternativo: terreno baldio; Emulsão de mandioquinha: sopa; Imagem corporal alternativa: gordo; Central de fotocópia estática: xérox; Ausência temporária do complexo penal: fuga da prisão; Informalidade ocupacional: bico; Agente antisocial delinqüente: pivete;Excitação de suporte: terremoto; Auxiliar de higienização: faxineira; Massa trabalhadora em stand-by: desempregados; Manifestação natural e voluntária do afeto: sexo; Subtrações de pequenos itens: arrastão; Indivíduo de vida sócia degenerativa: pinguço; Combustível neófito pelo acrescentamento de substância ludibriante: gasolina batizada; Recall hímen-morfológico: operação para reconstituição da virgindade; Integridade patológica debilitada: doença; Coleta de resíduos sólidos: coleta de lixo.

 

Eduardo Galeano

Quem aprecia o escritor uruguaio, Eduardo Galeano, não deve deixar de ler a entrevista dele publicada na mais recente edição da revista Caros Amigos. Lá ele fala de tudo um pouco, do Brasil, do mundo, da América Latina e de como aprendeu a arte de narrar, de contar histórias.

 

Golpe ?

O jornal da Cidade do final de semana publicou matéria denunciando que o deputado federal Jackson Barreto e o vereador Emanuel Nascimento tinham levado um golpe de um estelionatário que se passando por um formando de jornalismo levou R$ 1 mil de cada um com a promessa que eles seriam paraninfos da turma. O golpe chama a atenção para um detalhe que o JC deixou passar: quer dizer que para ser paraninfo tem que comprar? E dois políticos experientes aceitam isso? Pagar para ser paraninfo. Em um país sério isso se chama...

 

Cleomar Brandi nunca pagou

Não pense que todo mundo paga. Por exemplo, o mestre Cleomar Brandi é paraninfo de várias turmas de jornalismo e nunca precisou pagar. Essa história do estelionatário tem algo positivo: um golpe em outro golpe... E teve um que ainda publicou a foto na coluna social por conta dos R$ 1 mil....

 

Dutra vai morar em Brasília

Deu na FSP, de hoje, 30: Repaginado. José Eduardo Dutra vai se mudar do Rio para Brasília quando assumir o comando do PT. Também decidiu superar a pouca intimidade com as novas ferramentas de comunicação política e aderir ao Twitter.

 

Simpósio de Gestão em Canindé

No período de 3 a 6 de dezembro, o auditório do Hotel Águas do Velho Chico, em Canindé de São Francisco, sediará o Simpósio de Gestão de Recursos Hídricos e do curso de Gestão Participativa em Recursos Hídricos, que terá carga horário de 40 horas, tendo início dia 3 e término dia 12. A programação é aberta ao público e tem a promoção da Universidade Federal de Sergipe, com o patrocínio do CNPq, Prefeitura Municipal de Canindé e o apoio de diversas instituições. A solenidade de abertura acontecerá na quinta-feira, 3, às 17h30, com presença de diversas autoridades.

 

Agência de Cobrança

De acordo com o Secretário de Meio Ambiente de Canindé, Kaká Andrade, a expectativa é de que cerca de 150 técnicos da área participem do simpósio, que também contará em sua programação com reunião da Câmara Consultiva do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco, dirigida aos membros do CBHSF e aberta a toda sociedade. Entre os assuntos a serem discutidos estarão à criação da Agência de Cobrança pelo uso da água do rio São Francisco. Inscrições e informações: Departamento Municipal de Meio Ambiente (79) 3346-9530 ou demacaninde@yahoo.com.br.

 

DEM e o fardo do PFL

Os pefelistas mudaram o nome do PFL, para DEM, após ter a sigla envolvida em diversos escândalos e perdido feito na eleição de 2006 em todo país. Só venceu no Distrito Federal. Agora preparam a expulsão do governador do Distrito, José Arruda, que foi pego num vídeo recebendo dinheiro de propina. Não adianta, o fardo continua vivo...

 

Novo órgão da OAB investiga seus filiados

A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) federal criou, no mês passado, uma corregedoria para fiscalizar a atuação das seções estaduais nos casos de denúncias contra inscritos. O Conselho Federal da OAB percebeu que o número de queixas cresceu significativamente nos últimos anos, mas a quantidade de julgamentos de advogados acusados de práticas como enganar os clientes não acompanhou essa elevação. A intenção é impedir que o corporativismo prevaleça. (FSP).

 

Câmara de Umbaúba rejeita contas de ex-prefeito

Por sete votos contra dois, na sessão da última quinta-feira,  os vereadores do município de Umbaúba rejeitaram as contas do ex-prefeito, Benedito Barreto Nascimento, que comandou o executivo de 96 a 2000. As contas referem-se ao exercício de 98, e teve a recomendação do Tribunal de Contas, após análise, pela sua rejeição. O detalhe é que o próprio Benedito pode votar nas suas contas, pois, atualmente é vereador no município e só conseguiu convencer apenas mais um dos seus colegas parlamentares.

 

Decreto define pontos facultativos em 2010 I

Decreto governamental, divulga os dias de feriados nacional, estadual e define os pontos facultativos nas repartições públicas do Estado de Sergipe, para o ano de 2010: I -1º de janeiro, confraternização universal,  sexta-feira (feriado nacional);II -15, 16 e 17 de fevereiro, carnaval, (ponto facultativo);III -1º  e 02 de abril, Paixão de Cristo, quinta-feira e sexta-feira (ponto facultativo);IV -21 de abril, Tiradentes, quarta-feira, (feriado nacional);V -  1º de maio, Dia Mundial do Trabalho, sábado, (feriado nacional);VI - 03 de junho, Corpus Christi, quinta-feira, (ponto facultativo);VII - 24 de junho, São João, quinta-feira, (ponto facultativo);VIII -29 de junho, São Pedro, terça-feira, (ponto Facultativo);IX - 08 de julho – Independência de Sergipe, quinta-feira, (feriado estadual);X - 7 de setembro, Independência do Brasil, terça-feira, (feriado nacional);XI -   12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, terça-feira, (feriado nacional);

 

Decreto define pontos facultativos em 2010 II

Continua o decreto: XII -    1º de novembro, segunda-feira, em adiamento ao dia do Servidor Público, que recai no dia 28 de outubro, quinta-feira;XIII -02 de novembro, Finados, terça-feira, (feriado nacional);XIV -         15 de novembro, Proclamação da República, segunda-feira, (feriado nacional);XV -24 de dezembro, véspera de Natal, sexta-feira, (ponto facultativo);XVI - 25 de dezembro, Natal, sábado, (feriado nacional); e,XVII -        31 de dezembro, sexta-feira, véspera de Ano Novo (ponto facultativo). Art. 2º Os feriados declarados em lei municipal, de que trata a Lei (Federal) n° 9.093, de 12 de setembro de 2005, serão observados pelas repartições da Administração Pública Estadual direta, autárquica e fundacional nas respectivas localidades.Art. 3º Caberá aos dirigentes dos órgãos e entidades a preservação e funcionamento dos serviços essenciais afetos às respectivas áreas de competência.

 

8 de dezembro esquecido

O blog analisou o decreto e descobriu que foi esquecido o feriado de 8 de dezembro, dia de Nossa Senhora da Conceição, que cai numa quarta-feira em 2010.

 

Exploração sexual infanto-juvenil: MPT apóia combate I

Com o objetivo de combater a exploração sexual de crianças e adolescentes, o Ministério Público do Trabalho (MPT) em Sergipe convida administradores de hotéis, donos de pousadas e de agências de viagens a participar do “Seminário sobre Exploração Sexual Infanto-Juvenil. Um compromisso ético-profissional da sociedade turístico hoteleira de Aracaju”. O evento, organizado pelos gestores do Aracaju Praia Hotel, será realizado na próxima quarta-feira, dia 2, a partir das 8h da manhã, no auditório do hotel,na Orla de Atalaia.

 

Exploração sexual infanto-juvenil: MPT apóia combate I

Segundo o procurador do Trabalho Mário Cruz, a preocupação do Ministério Público do Trabalho e dos organizadores do seminário é que, com o início da alta temporada turística no Estado de Sergipe, aumentem os índices desse tipo desse tipo de crime. “O Seminário pretende sensibilizar as pessoas ligadas à rede hoteleira e às agências de viagem, para que juntos combatam a exploração sexual infanto-juvenil”, explica o procurador. Segundo o Ministério da Justiça, no Nordeste a exploração sexual infantil atinge 32% das cidades e as crianças menores de 12 anos são os alvos preferidos dos abusadores sexuais, representando 43% dos casos de exploração sexual.

                                                                                                                                                                  

Tem jeito não! Carros circulando

nas areias da praia

Tem jeito não! A SMTT começa a fiscalizar e depois deixa de lado. O blog insiste: estão esperando acontecer algo pior para tomarem as devidas providencias. Neste período de alta estação é preciso redobrar a atenção, mas nada. A foto ao lado foi tirada no domingo, 29, a tarde, na praia da rodovia Sarney em frente ao bar Parati, um dos mais movimentados e freqüentados por turistas. Eram dois carros possantes em meios aos banhistas.

 

 

Rubro negro

O governador Marcelo Déda assistiu ao jogo do Flamengo ao lado de familiares. Ainda no processo pós-operatório Marcelo Déda não se conteve com o gol do Flamengo pulando como qualquer torcedor normal. Depois de ontem ninguém tira o hexacampeonato brasileiro do Rubro Negro carioca. Enquanto o Flamengo será campeão "da primeira", o Vasco é campeão "da segunda". Quase igual...

 

DO LEITOR

 

Fisco – Não estamos reivindicando aumento salarial I

Do auditor Pedro Pedroza: “Tenho muito orgulho de ser Auditor de Tributos, desempenhando uma função de extrema importância para o estado e para a sociedade. Não estamos reivindicando aumento salarial. O Fisco exige uma solução para o plano de cargos e salários, que inclusive hoje impede uma ação mais eficiente de nosso trabalho. Existe uma ação na Justiça que questiona a legalidade de nosso plano,  a qualquer momento a depender do resultado do julgamento, poderemos ficar sem exercer as nossas atividades de fiscalização, e o governo não procura junto com o nosso Sindicato uma solução para o problema, esta questão já perdura desde 2007. Outra grande injustiça, diz respeito aos aposentados que foram enquadrados no inicio da tabela sem levar em consideração o tempo de serviço. Hoje tem aposentado ganhando menos do que os auditores da ativa. Gostaria de saber se é justo após 35 anos de serviço ser enquadrado no nível inicial da carreira.  Em relação a nossa produtividade, reivindicamos a incorporação, porque apesar do desempenho sempre crescente da arrecadação do ICMS, o atual governo estabelece critérios para impedir o seu pagamento integral. A arrecadação do ICMS de Sergipe sempre foi um maiores do país ( proporcionalmente ao PIB e a população ). O ICMS é a unica receita do Estado que continua crescendo apesar da crise, graças a ação eficiente dos servidores do Fisco sergipano”.

 

Fisco – Não estamos reivindicando aumento salarial II

Continua Pedroza: “A Lei de Responsabilidade Fiscal estabelece o teto de 46,5% da Receita Corrente Líquida, para  pagamento dos funcionários do poder executivo. Neste tres últimos anos, o governo nunca atingiu este limite, e a cada movimento reivindicatório alega que não pode  atender por falta de recursos. Não aceitamos o calote que o governo vem dando nos servidores estaduais, que já chega ao montante de 430 Milhões. Esta verdade incomoda a muitos papagaios de pirata e aspone do governo. Apelamos para a greve como último instrumento, pois desde o inicio do ano tentamos sensibilizar o governo para encontrarmos uma solução para os problemas, porém o governo mostrou-se insensível. Não nos restou outra alternativa a não ser paralisar as nossas atividades.   Ah sim, já ia esquecendo-me !  Para os patetas que querem tanto saber quanto ganha um auditor, preparem-se para o próximo concurso público”. Paulo Pedroza. Auditor de Tributos, membro do conselho de representantes do Sindifisco.

 

 

Som alto no Shopping do estudante

E-mail recebido: “Como o poder público desse estado parece não se preocupar com a população, peço socorro a alguém que tem o poder de atingir a opinião pública. Quem sabe assim alguns assuntos são discutidos mais profundamente e ganham algum coro ou eco. Moro vizinho ao Shopping do Estudante e, entra ano e sai ano, um funcionário encerra o seu dia de labuta com um "espetáculo de horrores" conduzido pelos chicletes, babados e arrochas da vida em seu poderoso som de carro. Retirando o direito dos vizinhos de escolherem o que ouvem e o volume. É como se o sujeito se sentisse responsável pela diversão do bairro inteiro (tamanho é o volume), com direito à trilha sonora feita a sua escolha (questionável, diga-se de passagem).Quando é que as pessoas vão aprender a respeitar o espaço do outro? Que a liberdade e o espaço delas acaba quando começa o do outro? Será que o descanso dessas pessoas é mais merecido que o descanso dos demais? Mais importante que as poucas horas de descanso após uma dia desgastante de trabalho? Que as horas importantes de calma pra se terminar uma tese, ler um livro, estudar, trocar palavras de carinho com os filhos, ver tv, enfim, relaxar...? Continuo vendo as pessoas se embriagando e dirigindo, ligando som alto a qualquer hora do dia, se degladiando no trânsito na disputa pela réstia de sinal amarelo pra não perder tempo (como se o seu fosse mais importante que o do outro), etc, etc, etc. Onde vamos parar? Quero de volta o direito básico de ouvir as músicas que eu quiser e quando eu quiser, apenas. E num volume baixo ou , de preferência, com um fone de ouvido para que outros não sejam obrigados a ouvir o que não desejam ou quando não desejam”.

 

Praças que trabalham na orla

Comentário de Fernando: “Estão escravizando os praças que trabalham na orla final de semana da 20:00hs até as 02:00hs da madrugada. Trabalhamos sem um copo com água se quer, um lanche nem pensar. Trabalhei com um colega que mora no interior e trabalha aqui na capital onde o mesmo esqueceu a carteira em casa, pois saiu as 18:00hs , e ficou com fome e sede. Água só na CPtur e estávamos na passarela do caranguejo, e não podíamos tirar a VTR do local. Com receio,o colega me confessou depois que não aguentou mais a fome o que tinha acontecido e prosseguir de imediato onde comprei lanche para nós dois ,pois eu também estava com fome já passava da meia-noite e nós ali sem poder nem ir no banheiro pois fizemos nossas necessidades na areia, e se fossem uma mulher nessa hora o que fazer? Nós arriscaríamos indo na CPtur se arriscando a pegar o fiscal e nos dar aquela chamada de atenção por termos abandonado o nosso posto.Sendo assim logo na segunda-feira enviei um Email para a PM5 pedindo que providenciassem pelo menos um copo com água e um lanche já que ficamos 06:00hs no mesmo local sem nenhuma atenção da instituição, mas, até hoje ainda não obtive resposta ou seja tudo vai continuar como esta. Pobre do colega que trabalhará este final de semana pois continuará sem o apoio da PM.É assim que tratam aqueles que realmente enobrecem a instituição Ainda aguardo resposta , providencia e respeito”.

 

Estamos nas mãos de pessoas como essas I

Do leitor Dinho Santana: lendo na semana passada, comentários da coluna Periscópio do Jornal da Cidade, assim distribuídas: “O bem amado, política, PMDB, JB e Paz e amor, ao se referir ao senador Almeida Lima, vemos que falta seriedade nos ditos dirigentes deste Brasil. Valho-me aqui de trechos do comentário do jornalista e escritor Petrônio Souza Gonçalves,  “Entre marimbondos, sociólogos, moluscos e lobos” publicado na coluna de Cláudio Humberto; o qual tratando do apagão diz que “Com milhões de testemunhas e vítimas espalhadas por 18 estados”, bem mais que a metade de todo o país - o blecaute moral que se abateu sobre o Planalto Central assombra nossas consciências - É a mesma ideologia de Sérgio Naya, o vendedor do sonho da casa própria, o construtor de castelos de areia. Isso tudo é o Brasil, a mais pura e real paródia de nossa tosca vida diária - Estamos nas mãos de pessoas como essas, que encobrem fatos, distorcem dados e aprisionam a verdade -Tudo isso, resquício de um país que viveu sobre o apagão total das idéias, girando qual inseto ao redor da meia luz, na falta maior de um sol. Eram tempos obscuros, quando chefes da casa civil duelavam contra marimbondos de fogo, terroristas, sociólogos e lobos”.

 

Estamos nas mãos de pessoas como essas II

Continua Dinho: “Almeida Lima é a raspa do que temos no Congresso; onde no senado temos o tri-presidente do senado José Sarney e seu vasto currículo de malversação... Já na Câmara o também tri-presidente Michel Temer com um currículo não menos extenso que seu par! Deitam e rolam no comando dos 512 deputados e 80 senadores (foi excluído os tri-presidente já que o total de parasitas no Congresso soma 594). Tenho defendido o Voto Facultativo, o que para uns é difícil aceitar por acreditarem não serem os eleitores capazes de saber não votar; mais somos sabedores da obrigação na tão propalada Democracia... De votarmos no que aí esta! Sendo a política a arte de enganar o próximo quanto mais próximo, somos coniventes na enganação, tomando como exemplos de nosso presidente Lula ao defender e se somar aos seus outrora inimigos; Calheiros, Collor, Sarney e por aqui ? ?O governador Marcelo Déda (PT) e o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira (PCdoB) gostam de “Almeidinha” desde criancinha”.

 

Artigo - A gente pode! – Ferreira Filho

 

No mundo tumultuado que vivemos, onde os menos favorecidos padecem de ações do poder público em seu favor, não é difícil encontrar em algum lugar, um líder que verbalize a esperança, planejando junto com os liderados, a melhoria da condição de vida de sua população.

 

Na democracia, os líderes divergem, porém, não se tolera o ódio, a forma agressiva do tratamento entre os divergentes, enfim, é possível viver em harmonia, ainda que discordando uns dos outros.

 

Em Sergipe, um Estado pequeno, onde todo mundo se conhece, como diz o deputado federal, Albano Franco, sabemos quase tudo, menos o que determinados líderes planejam, verdadeiramente, para a população.

 

Sem o desejo de cultivar a discórdia, num passado muito recente, acompanhamos um pleito municipal, onde propostas foram colocadas à disposição dos Aracajuanos e, entre elas, estavam as do então candidato pelo PMDB, Almeida Lima, que transmitia uma mensagem de renovação, pulsando com firmeza a independência, além de tentar convencer os cidadãos, enchendo-lhes de otimismo para com o seu futuro e concluía: "A gente pode".

 

Confesso que participei, consistentemente, dessa proposta, e fomos juntos com centenas, milhares, de pessoas crentes de que realmente, "podíamos" levar esse mesmo sentimento para os aracajuanos por mais distante que tivessem.

 

Nas suas verbalizações, o então candidato do PMDB, falava de todas as "possibilidades", menos, de que tão logo, estaria distante de todos os que acreditaram na sua mensagem que "podíamos", e passar a viver, muito próximo, ou melhor, muito íntimo, de quem, inclusive, era considerado, por Almeida, como um secretário do governador Marcelo Deda.

 

Sorridentes e trocando elogios, Edvaldo e Almeida "podem" se relacionar muito bem, do ponto de vista pessoal, e assim deve ser o estado democrático, mas, como "pode" esquecer em alta velocidade tudo que discordaram e até de forma agressiva, um do outro? Já sei. "Eles podem".

 

Para quem não viveu os bastidores, e esteve apenas na condição de eleitor ouvindo propostas para fazer sua escolha, deve ser confuso acreditar numa aproximação tão rápida. Imagine para quem esteve nos bastidores, construindo essa mensagem para chegar até o eleitor? A resposta vem no que já narrei anteriormente, quando disse que nós sabemos quase tudo que planeja o líder, entretanto, o umbigo é segredo total.

 

Essa felicidade que vive os líderes divergentes, não pode ser compartilhada com todos. Aos que lutaram pelo convencimento da mensagem otimista do PMDB, fica a cara feia, nos olhares de quem esteve na disputa do outro lado. A alegria com que Edvaldo cumprimentava, hoje desvia o olhar, talvez lembrando o pleito, quando estivemos nas ruas, tentando lhe arrancar o "doce" de sua boca.  "A gente não pode"!

 

Tentei encontrar várias respostas, de ordem coletiva, que justificassem essa "aliança" tão próxima de um resultado de eleição. Prefiro deixar a reflexão para os eleitores sergipanos, na certeza de que eles "podem", e concluir que ouvindo um repertório da nossa MPB, na voz de Baby Consuelo que diz: "...porque o mal é o que sai da boca do homem..."."A gente pode!" Ferreira Filho, Radialista e publicitário.

 

 

O quase nanico Democratas – Fernando Rodrigues – FSP

 

BRASÍLIA - O Democratas nasceu de uma costela do PDS (ex-Arena, esteio da ditadura militar). Ainda com o nome de PFL, o partido sempre se apresentou como uma das forças motrizes responsáveis pela volta do país à democracia.Adversários dos "demos" pensam de forma diferente. A sigla só teve senso de oportunidade. Em 1984, com a ditadura atolada no brejo, o grupo saltou fora do barco. Aliou-se às forças emergentes. Manteve-se mais tempo no poder.

 

A fórmula pefelista deu certo por muitos anos, quase duas décadas. Forte em oligarquias estaduais, nos grotões do país, o partido foi ficando. Em Brasília, praticou o quanto pode a genuflexão aos poderosos, um a um. Serviu a José Sarney, Collor e FHC. Muitos até simpatizam com Lula.

 

Mas ninguém engana a todos o tempo todo. O PFL elegeu seis governadores em 1998. Caiu para quatro em 2002. Em 2006, ficou com apenas um: José Roberto Arruda, em Brasília, um ex-tucano renascido "demo" depois de ter caído em desgraça por causa de um escândalo anos antes -a violação do painel de votação do Senado.

 

Agora, Arruda entra em um buraco mais fundo. Há indícios claros de sua participação num esquema já chamado de mensalão do DEM em Brasília. É difícil haver explicação dentro da legalidade para a imagem do único governador "demo" recebendo um pacote de dinheiro, refestelado em um sofá, e respondendo: "Ah, ótimo".

 

No caso dos mensalões do PT e do PSDB, é bom lembrar, nunca apareceu imagem tão eloquente. O Democratas encolhe a cada eleição. Foram 105 deputados eleitos em 1998. Uma queda para 84 em 2002. Só 65 em 2006. Hoje, prova do próprio veneno: a infidelidade partidária o desidratou e a bancada com meras 55 cadeiras. Em 2010, ressalvada uma ou outra exceção, os "demos" devem aumentar a sua insignificância.

 

 

 

Participe ou indique este blog para um amigo: 

claudionunes@infonet.com.br

 

Frase do Dia

"O sujeito que não for pelo menos um dia Flamengo não viveu. O Flamengo é uma força da natureza. Quando o Flamengo espirra, é o futebol brasileiro que fica resfriado."

 

 



VEJA TODAS PUBLICAÇÕES DO BLOG
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Cláudio Nunes

Desde maio de 2006, tem um blog no Portal Infonet. Atua no jornalismo de Sergipe há mais de 15 anos, passando pela Gazeta de Sergipe, Jornal da Manhã, Diário de Aracaju, TV Sergipe e Jornal do Dia. Radialista e jornalista, em dezembro de 2006 publicou o livro "Liberdade da Expressão".
Novidades
Anúncio
Classificados
Anuncie Grátis
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030