Playa Blanca: Mar azul turquesa ao seu alcance
Caribe colombiano cada vez mais recebe brasileiros
13/10/2016  08:38


Playa Blanca tem mar calmo e transparente

Cartagena das Índias por muito tempo é destino certo de brasileiros que buscam a multifacetada e vibrante cidade, com história, mar azul, gastronomia à base de frutos do mar e modernidade. Mas há de convir que as praias urbanas à beira-mar de Cartagena, não são tão tipicamente caribenhas assim. O turista que quer conhecer as águas quentes e transparentes do Mar do Caribé colombiano também encontrará na capital do Departamento de Bolivar, mas não na cidade e sim no denominado Parque Nacional de los Corales del Rosario.

Cartagena fica à beira do Mar do Caribe, mas surpreendentemente as praias que a circundam a cidade deixam a desejar quanto à transparência da água. O mar é escuro, mas nas principais praias, a exemplo de Bocagrande e na Baía de Manga, há estrutura de barracas de praias e cadeiras.

Palenqueras vendedo frutas cortadas

As praias da Isla del Rosário (Ilha do Rosário) e Baru são as mais procuradas no Caribe Colombiano. São mais de 50 localidades diferentes, particulares, populares para todos os gostos, mas há uma unanimidade: as águas são cristalinas e quentinhas.

A Arquipélago de Rosário, a cerca de uma hora de barco do centro, é uma das grandes atrações de Cartagena. O local tem diferentes ilhas privadas onde os turistas podem desfrutar de um dia à beira de águas cristalinas, tomando sol e curtindo o clima do litoral caribenho.

As praias urbanas de Cartagena não têm a mesma beleza que se vê nessas ilhas. Cada localidade do arquipélago oferece uma estrutura diferente e possui nomes distintos - entre as mais famosas estão a do Oceanário, de San Pedro de Majagua, Isla del Pirata e del Encanto  (as duas últimas, boas para passar o dia). A vantagem das ilhas privadas é não haver incômodo dos vendedores ambulantes. Muitas delas possuem o nome das barracas de praia que oferecem receptivos, como a do Cocoliso e do Gente del Mar.

Como chegar – Os passeios costumam ser desorganizados e sair de um terminal próximo à Torre del Reloj, no centro histórico de Cartagena. Esteja ciente de que o trajeto no barco pode ser bastante incômodo no momento em que a embarcação estiver contra as ondas.

Para muitos o transporte de lancha rápida ou catamarã é um suplício, pois o mar revolto em determinados momentos causa um certo arrependimento ao turista menos desavisado e que não goste de aventura.

A única praia que chega de carro, utilitário turístico ou ônibus de linha é a Playa Blanca, na Isla Baru, também no Parque dos Corais. A praia é muito frequentada por moradores e turistas e o acesso não é tão convencional, tendo que passar por uma escada de pedra até acessar às barracas.

Se contratar o passeio, o guia lhe levará para uma barraca já reservada. O assédio de vendedores servindo desde frutos do mar, bebidas, coco, limonada e sucos regionais é grande, além de massagens. É sempre bom negociar ou alugar uma cabana na própria barraca de praia que o garçom os servirá tranquilamente.

Perto da Isla barú (Playa Blanca) fica a Isla del Rosário. Os guias também oferecem passeios para lá, mas cuidado. Caso queira passar mais tempo se banhando nas águas do Caribe acerte com antecedência, pois a Isla del Rosário pode não ser uma boa opção, por conta da visita já programada pelas agências de viagem ao Oceanário.

Há também opções bem mais interessantes de ir até ilhas mais reservadas e particulares, afinal, são várias ilhas e mais de 50 praias no Parque Nacional dos Corais. Dos mais simples, aos mais sofisticados, dos pacotes que incluem hospedagem em resorts até os day use em vários deles, a exemplo dos hotéis San Pedro de Majagua, do Cocoliso e do Gente de Mar.

Vendedores de frutas

Dicas de Viagem

  • Cartagena é uma cidade surpreendente. Não deixe de saborear a boa gastronomia dos restaurantes à base de frutos do mar. Os valores variam, mas não há grande diferença dos preços praticados no Brasil. O ceviche é uma boa pedida.

  • As temperaturas da cidade são sempre elevadas. Faz muito calor e por vezes chove durante o dia, com rajadas de trovão e relâmpago. A boa dica é analisar o tempo antes de planejar a ida às praias.

  • Em diversos pontos da cidade há casas de câmbio que trocam real pela moeda local. Mas caso queira economizar, vale a pena cambiar pouco dinheiro e utilizar o cartão de crédito para sacar na moeda local. A dica é de especialistas de instituições financeiras. Não compensa levar dólar.

  • Playa Blanca tem acesso por via terrestre

    O transporte do aeroporto até a cidade deve ser feito de táxi. O preço da corrida do transporte público é bem mais em conta do que no Brasil.

  • O assédio de vendedores é comum em toda as praias. A pechincha é garantida. Cuidado com as massagistas que oferecem gratuitamente. Não será tão gratuito assim.

  • Há vários preços que variam desde 65.000 pesos colombianos até 200.000 pesos, por pessoa. Todos eles oferecem o passeio com almoço incluso. O almoço é como o “prato feito” brasileiro que vem um peixe assado inteiro, arroz de coco e uma salada. Há também pratos feitos a pedido do cliente, mas pagos por fora.

  • Lagostas são preparadas na hora

    As palenqueiras são as tradicionais senhoras cartaginenses que vendem frutas vestidas a caráter. A simpatia e a alegria são marcas registradas.

  • Não deixe de experimentar os tradicionais doces colombianos vendidos nas barraquinhas. Os sucos de frutas, a exemplo do lulo, do corozo e da guanábana (graviola), da limonada servida com gelo e da mangobiche, pedaços de manga verde cortada com sal, são tradicionais.

Gastroterapia

Os pratos de pescado sempre vêm com o arroz de coco, ou seja, “arroz con coco”, muito popular na região do Caribe. Não deixe de apreciar um bom ceviche de entrada.

Os patacones, pedacinhos fritos de banana da terra crocantes, são sempre servidos como acompanhamento de vários pratos.

As arepas são presença certa no café da manhã e costuma ser servido como acompanhamento. Feito a partir da farinha de milho, a arepa tem formato circular e é achatada.

Lagostas preparadas na hora ao gosto do cliente
Prato do dia já incluso no pacote das agências

Os sucos e a limonada têm em toda a parte da cidade o seu lugar bem apreciado por turistas. As frutas cortadas e o mangobiche, pedaços de manga verde com uma pitada de sal, é vendido como se fosse batata frita. Éa acarajé do cartaginense, ou seja, encontrada em qualquer esquina da cidade.

As frutas colombianas são parecidas com as brasileiras, mas há algumas diferentes e com espécies variadas: o lulo, o corozo (parece uma uva, mas é muito ácida e não se consume pura), granadilla e curuba (essas duas da família do maracujá e também servida no café da manhã), feijoa (parece uma goiaba branca), borojo, papayuela, caimito, tomate de árbol, tamarindo, gulupa, mamoncillo, uchuva, pitaya. Outras frutas são conhecidas, mas possuem outros nomes: guanábara (graviola), zapote (sapoti), fresa (morango), sandia (melancia), anón (fruta-do-conde), mora (amora).

Fotos: Silvio Oliveira

www.facebook.com.br/tonomundo



MATERIAS RELACIONADAS
VEJA TODAS PUBLICAÇÕES DO BLOG
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Silvio Oliveira

Jornalista, especialista em Gestão da Comunicação e responsável pela fan page Tô no Mundo. Escreve sobre Turismo para o Portal Infonet desde 2009. Atuou em jornais, a exemplo do Correio de Sergipe e cadernos especiais do Cinform, além do Portal F5 News. Passou por Assessorias de Comunicação e Agências de Notícias do Governo de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe/ Projeto Mar de Sergipe e Alagoas e Prefeitura de Aracaju.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030