Patacho (AL): Vila de pescadores e roteiro de charme
Caminhos dos mares do norte de Alagoas – Parte 2
03/11/2016  07:11


Deques com vista para o pasaíso alagoano

A tríade formada por praias com águas esverdeadas, boa gastronomia e serviço impecável faz da Rota Ecológica da Costa dos Corais, no litoral norte de Alagoas, um dos roteiros cobiçados por estrangeiros e brasileiros em busca do pedacinho do paraíso. O destino começa em Paripueira e vai até Maragogi, concentrando um litoral de mais de 100km de praias, a poucos 90km de Maceió.

Considerada uma das praias mais belas do litoral alagoano, e ainda melhor, quase que deserta, a praia do Patacho é um desses lugares para quem gosta de tranquilidade, banho em piscinas naturais transparentes e pousadas de dar inveja aos mais sofisticados resorts do Caribe.

Na primeira matéria da série “Caminhos dos mares do norte de Alagoas”, o Tô no Mundo desbravou o passeio ao Santuário Ecológico do Peixe-Boi, em Porto de Rua, no povoado Tatuamunha, com as dicas da blogueira e jornalista especialista em gastronomia alagoana, Nide Lins.

Pousadas rústicas com ambiente de chame e aconchego

Desbrave agora a praia do Patacho e vamos seguindo na direção que as rotas ecológica e de charme de Alagoas nos levar. Uma coisa é certa: o turista que a conhece, sempre quer voltar.

A estrada emoldurada por viçosas árvores dos dois lados dá acesso a uma das faixas do litoral brasileiro mais impressionante em beleza: a praia do Patacho e seus arredores, situada no litoral norte de Alagoas.

Piscinas naturais do Patacho

Os inúmeros barracos de pescadores dão um ar rústico ao local em meio a bangalôs e deques de charmosas pousadas. Mas o que enche os olhos é a cor esverdeada do mar, que muda de tom entre um verde esmeralda e intenso contraste azulado, ao olhar da faixa de areia a linha do horizonte.

A praia do Patacho é considerada por guias especializados como uma das mais bonitas praias do país, além de ser lá onde ficam  charmosas hospedagem,em que o visitante é chamado pelo nome da hora que chega à despedida.

Diariamente, na maré baixa, a faixa litorânea deixa o mar propício ao banho por horas, ao ponto de o visitante andar dentro da água rasa até chegar aos bancos de recife.

No início da manhã, a dica é solicitar um passeio de jangada pelas agradáveis piscinas naturais da Costa dos Corais. O trajeto dura em média de 2 a 2h30 e é regado ao que o turista preferir: champanhe, prosseco, cerveja, refrigerante, água de coco... Além de observar os inúmeros peixes, a água morna e é um convite a horas de relaxamento.

Na maré baixa é possível caminhar até as piscinas

É deixar o tempo passar vagamente, colocar em prática a máxima “No stress” e retornar tranquilamente.

Sem sombra de dúvida, em terra firme, um dos funcionários da pousada lhe aguardará com a gentileza de lhe proporcionar sempre o melhor. E é com essa mistura – bom atendimento, natureza preservada e bons passeios – que em Patacho se tem a sensação de um paraíso particular preservado ao seu dispor.

Chame - A gentileza gera gentileza e a estadia nas pousadas é de se apaixonar pela localidade. O hóspede é chamado pelo nome, o café da manhã é servido sem pressa com frutas colhidas na própria horta orgânica, além pães, bolos e geleias ao gosto do freguês.

O difícil é não querer retornar ao quarto por conta dos mimos disponibilizados pela hospedagem, a exemplo de cama king size superconfortável, tv de alta definição, travesseiros e cobertas de puro algodão e decoração bem atraente, afinal, roteiro de charme é charme em tudo. Em algumas delas, a exclusividade no atendimento e o acolhimento da equipe de fundionários é o diferencial.

Detalhes e charme

O cardápio lhe aguarda para apreciar dos mais saboros pratos baseados na culinária alagoana, mas com uma pitada da cozinha criativa de grandes chefs internacionais. Difícil é não querer repetir. Em algumas delas, os pratos são elaborados na presença dos turistas, sendo também uma atração do estabelecimento. 

Afinal, a praia do Patacho é abençoada por Deus, bonita por natureza, e generosa em sabores. O que está esperando? Afivele a mala e boa viagem.

Dicas de viagem

Vila de pescadores

Diferente de outros destinos conhecidos do litoral nordestino, Patacho ainda é preservada e poucos jangadeiros seguem para as piscinas naturais. O passeio mais curto custa R$ 25, por pessoa, ou mais longo até a praia do Lage, ao preço de R$ 35, por pessoa.As praias da Barra do Camaragibe e a charmosa vila de Porto de Rua elencam algum dos pontos a serem visitados, antes de chegar no Patacho, partindo de Maceió.

As pousadas da região variam de preço com diárias de R$ 250 a R$ 1200, a depender da hospedagem e da temporada do ano. Consulte o site do Costa dos Cortais  Convention

A pequena Porto de Pedras fica a poucos 20km do Patacho e é cheia de magia e história para contar. Lá se pode também apreciar as famosas agulhinhas pretas e um bom peixe de água salgada, à beira-mar.

Requinte, rusticidade e tranquilidade

Em Porto de Pedras há uma bela vista do Farol e da Barra do Boqueirão. O farol datado em 1940 fica em um ponto estratégico onde se pode ter uma bela imagem das praias. As seculares igrejinhas e o prédio da antiga cadeia pública em ruína são alguns dos exemplares de um período em que holandeses estiveram na região. Vale a pena desbravá-lo.

Gastronomia

Risoto de camarão nas pousadas
Agulhinhas fritas em Porto de Pedras

Duas pousadas chamam atenção na praia do Patacho, que seus restaurantes são abertos ao público: a Patacho e a Xue. As solicitam que faça reserva antecipada e produz a maioria dos seus próprios alimentos, ou seja, da horta sem agrotóxico o turista pode deliciar uma combinação de sabores de frutas e verduras tiradas do pé e misturados aos ingredientes fresquinhos de frutos do mar pescados ali mesmo. As diárias giram em torno de R$ 250, a depender da temporada e do sistema de hospedagem, com ou sem refeições. O cardápio também é bem elaborado de acordo com as preferencias do chef e do cliente. A dica: peça o prato do chef que não se arrependerá.

Vista do farol de Porte de Pedras
Detalhes que fazem a diferença

Foto: Silvio Oliveira

Curta: www.facebook.com.br/tonomundo



MATERIAS RELACIONADAS
VEJA TODAS PUBLICAÇÕES DO BLOG
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Alex Sandes
04/11/2016 às 07:41
Conheci a região de São Miguel dos Milagres com minha esposa e realmente é um espetáculo, para quem gosta de praias de aguas calmas e quase desertas. A infraestrutura ainda é pequena e se resume às pousadas e hotéis, como bem explicou na matéria, a maioria bem acolhedores e charmosos. O roteiro é para quem gosta de praia e descanso.

Silvio Oliveira

Jornalista, especialista em Gestão da Comunicação e responsável pela fan page Tô no Mundo. Escreve sobre Turismo para o Portal Infonet desde 2009. Atuou em jornais, a exemplo do Correio de Sergipe e cadernos especiais do Cinform, além do Portal F5 News. Passou por Assessorias de Comunicação e Agências de Notícias do Governo de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe/ Projeto Mar de Sergipe e Alagoas e Prefeitura de Aracaju.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030