Ilha da Sogra: Um pedaço do paraíso em Sergipe
Pelas trilhas de Tieta do Agreste
17/11/2016  07:56


Chegada a Ilha da Sogra, em Sergipe

Conta o escritor Jorge Amado que Tieta do Agreste costumava andar pelas dunas de Mangue Seco tangendo cabras e cabritos. Sua brejeirice fazia os nativos babarem. Ao debruçar sua morenice no rio Real, Tieta do Agreste encantava.Mangue Seco virou ponto turístico e encanta quem o conhece, na divisa de Sergipe e Bahia. A poucos minutos da turística Mangue Seco fica encrustada num braço de mar o paraíso chamado de Ilha da Sogra. O dilema é: Se é paraíso, como é que Tieta não esteve por lá, morando bem ali pertinho?

O Tô no Mundo foi conferir no litoral sul de Sergipe se alguém poderia responder essa questão. Afinal, Tieta andava pela Ilha da Sogra, um paraíso do lado de Sergipe?

Partindo de Aracaju, a dica é pegar a Rodovia/SE-285, na Linha Verde sergipana. Deixando a praia de Atalaia, o litoral da rodovia dos Náufragos é um convite à observação do mar.A rodovia possui bares e restaurantes e nos finais de semana são bem frequentados por turistas e sergipanos.

A sinalização irá guiar até um entroncamento à direita que dará acesso ao povoado Mosqueiro. É lá onde fica uma região na desembocadura do rio Vaza-Barris onde o turismo se profissionaliza com passeios de catamarãs pelas ilhas dos Namorados, da Croa do Goré, entres outros recantos. Mas não esqueça? Estamos procurando saber se Tieta andou ou não conquistando amores pela Ilha da Sogra e para saber, só chegando lá.

Vamos na direção da ponte Joel Silveira, no município de Itaporanga d’Ajuda. Seguiremos até passar pelas praias da Caueira (Itaporanga) até chegar a praia do Abais (Estância). Vá mais adiante ao povoado Porto do Cavalo até seguir por uma pequena ponte.

O primeiro povoado a ser desbravado fica logo após a ponte Gilberto Amado, na bucólica Terra Caída, à margem direita da rodovia. Terra Caída, pequena localidade sergipana, situada às margens dos rios Cajazeiras e Piauí e pertencente ao município de Indiaroba, é um dos lugares do mundo onde a natureza agiu de forma excepcional.

A rusticidade encanta quem gosta de paisagens bucólicas, emolduradas pela fauna e flora litorânea. O acesso é fácil e tão logo o turista adentra o povoado, percebe-se que o tempo parece caminhar lento na localidade.

Não deixe de provar as empadinhas do bar e restaurante Frutos do Mar, no cais do povoado.

Pode-se dali fazer um passeio que cruza prainhas e bancos de areia propícios ao banho. E lá também pode fazer passeio em embarcações que partem para a turística Mangue Seco e para a Ilha da Sogra, mas lembre-se: você só estará de passagem para curtir mais uma localidade que enche de beleza os olhares mais poéticos.

Águas claras  quentes

Distante dali cerca de 10km, com acesso à esquerda pela Rodovia/SE-285, a 8km do entroncamento fica o Pontal, mais um povoado sergipano de beleza sem igual que com certeza foi visitado pela personagem ilustre de Jorge Amado.

A beira do rio Real, o Pontal fica em frente das dunas do Mangue Seco.O turismo ainda não aportou ali como deveria e a localidade serve de base para a travessia, mesmo assim, não deixa de ser uma localidade a ser observada, tamanha beleza do cenário rio-mar. Pontal não fica de lado e tem uma beleza que deve ser clicada e apreciada (veja as dicas).

De lá partem embarcações para Mangue Seco de meia em meia hora. Desembarque no povoado, até porque a Ilha da Sogra lhe espera.

Conta à história que a ilha recebeu esse nome porque um aventureiro chegou até ela e, por conta da sogra ser muito mandona e chata, ele permitiu que a embarcação deixasse ela para sempre lá.

De Mangue Seco parte embarcações turísticas para quem quer curtir momentos de lazer e tranquilidade na Ilha da Sogra. O vento sopra devagar na areia mudando sempre as piscinas naturais de direção.

Atualmente a Ilha da Sogra é um dos destinos mais visitados do litoral sul do Estado, configurando um local a ser desbravado junto com a praia do Saco ou com Mangue Seco. Mas aqui a dica é passar por Pontal e Terra Caída, destinos poucos citados pelas agências de viagens, mas que tem uma beleza sem igual.

Por conta da tranquilidade, pode-se dizer que Tieta com certeza também se banhou nas águas esverdeadas e quentes da Ilha da Sogra. A interrogação continuará sendo uma incógnita para quem a visita. O certo é que a Ilha é um pedacinho do paraíso em Sergipe.

Dicas de viagem

Os dois povoados (Pontal e Terra Caída) encrustados no litoral sul de Sergipe ficam em Indiaroba, a poucos 100km da capital. A dica é apreciar as belas e poéticas paisagem à beira dos rios Piauí (SE) e Real (BA), e desfrutar de passeios por manguezais, restinga de Mata Atlântica e biomas de praia.

O passeio a Ilha da Sogra pode ser por embarcações que partem da praia do Saco. Fica bem mais próxima do que de Mangue Seco. Porém, como a dica é percorrer as andanças de Jorge Amado, hospede-se em Mangue Seco.

Os preços praticados pelas hospedagens na localidade variam de acordo com a acomodação. A pousada Fantasia do Agreste é a que apresenta mais estrutura, com quartos amplos e confortáveis, varanda com vista para uma área social. O restaurante serve desde o café da manhã, almoço e jantar. As poções são fartas e variam de R$ 40 a 90, a depender do gosto. Consulte os preços das diárias através do telefone 75 3445-9070 ou 3445-9011.

Mangue Seco fica a 242 km de Salvador através da Linha Verde. No entanto, a forma mais prática de se chegar é via Sergipe através do Pontal (SE).
No Pontal, há embarcações que fazem linha Pontal-Mangue Seco pelo preço de R$ 5, por pessoa, nos finais de semana quando há bastante movimento. Caso não tenha movimento, o barqueiro cobra R$ 50 para três pessoas, ou seja, R$ 100 para ir e voltar, com horário agendado. Há também lanchas para seis pessoas, com preço a combinar.

Terra Caída, em Indiaroba

Os estacionamentos do Pontal cobram a diária de R$ 10, por automóvel. Consulte para pernoitar.

Na praia do Saco, em Estância, há bate e volta partindo da localidade com passeio pela Ilha da Sogra e Mangue Seco. As lanchas cobram cerca de R$ 160, para quatro pessoas.

Gastroterapia

O catado de aratu cozido na palha da bananeira e as cocadas são bem apreciados por quem visita o litoral sul de Sergipe. As doceiras fazem cocadas à base de castanha de caju, de amendoim, a tradicional de coco branco e até de goiaba e doce de leite. As cocadas brancas com raspa de coco são bem tradicionais, mas tem a cocada com coco queimado e leite também. Não pense na dieta ao apreciá-las. Com certeza o bom mesmo é comer sem culpa, apreciando cada raspinha do coco. Cada cocada custa R$ 5 ou três por R$ 12.

Povoado Pontal

Fotos: Sílvio Oliveira

www.facebook.com.br/tonomundo



MATERIAS RELACIONADAS
VEJA TODAS PUBLICAÇÕES DO BLOG
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
sandro
17/11/2016 às 19:33
UM VERDADEIRO PARAISO! QUERO IR PRA LA!

Silvio Oliveira

Jornalista, especialista em Gestão da Comunicação e responsável pela fan page Tô no Mundo. Escreve sobre Turismo para o Portal Infonet desde 2009. Atuou em jornais, a exemplo do Correio de Sergipe e cadernos especiais do Cinform, além do Portal F5 News. Passou por Assessorias de Comunicação e Agências de Notícias do Governo de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe/ Projeto Mar de Sergipe e Alagoas e Prefeitura de Aracaju.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030