Recife (PE): Suas pontes, sua história
Passeio revela a magnitude da história do Recife
20/04/2017  06:54


Olhar vidrado nos casarões da rua da Aurora

Passear pelo rio Capibaribe a bordo do Catamaran Tours, ouvindo belas canções de compositores pernambucanos e apaixonados por eles, além de observar prédios históricos datados do início dos séculos XVII e XVIII é um dos roteiros mais apreciados por quem visita à capital pernambucana, Recife. E não é somente um passeio turístico. É deixar contagiar-se com a magia e o imaginário pernambucano de outrora através do passado no presente, contando com a alegria, a emoção e a motivação de seu povo.

A convite da empresa Catamaran Tours e da RVL Turismo, o Tô no Mundo fez um registro do passeio “Recifes e suas Pontes” e o indica sem pestanejar. Recife de encantos e cheio de história para contar, motivado pela natureza dos rios Capibaribe e Beberibe, faz do passeio imperdível aos olhos dos visitantes que querem conhecer um pouco mais da do Brasil colonial pela ótica da antiga Província de Duarte Coelho. O passeio dura em média uma hora e meia e passa sob cinco pontos: Giratória, Maurício de Nassau, Manuel Buarque de Macedo, Princesa Isabel, Duarte Coelho, todas elas com suas histórias, estruturas, contos e encantos.

Embarque em espaço aconchegante no Cais Santa Rita

O guia avisa que a embarcação partirá do cais de Santa Rita a poucos minutos e um sonoro “visse” é espontaneamente pronunciado, indicando que o passeio não é apenas um mero roteiro turístico. É embarcar na história e no cotidiano do povo pernambucano.  A palavra amplamente usada no vocabulário pernambucano fundi três interrogativas ao mesmo tempo: você viu? você escutou? você entendeu? visse?...

A embarcação parte e ao longe se ver a comunidade Brasília Teimosa, ladeada por um conglomerado de prédios que surgem nos bairros do Pina e da Boa Viagem, além do shopping center Riomar e outros centros comerciais, todos eles em torno da denominada Bacia do Pina. O passeio só está começando quando à direita dois arranha-céus cortam o horizonte nomeados por expoentes da história de Pernambuco: Duarte Coelho e Maurício de Nassau.

Brasília Teimosa, Pina e a natureza

O catamarã passa bem pertinho do Marco Zero, com seus emblemáticos edifícios Maurício de Nassau, de características modernas e fachadas em vidro; da Associação Comercial de Pernambuco e da Bolsa de Valores, hoje ocupados por museus e centros culturais. Há também os armazéns do antigo porto do Recife, que abrigam restaurantes e bares. Do lado esquerdo da Bacia do Pina fica os arrecifes que viraram pontos turísticos, por receber o Parque de Esculturas de presente do artista plástico e escultor Francisco Brennand.

Prédios modernos dão passagem para a história

A embarcação adentra o rio Capibaribe e passa sobre a primeira ponte denominada de Ponte Giratória. A história conta que a ponte era uma antiga rodoferroviária, que tinha a sua estrutura central montada sobre uma coluna pivotante, e que servia para liberar a navegação no rio Capibaribe. Seu nome deve-se a sua característica, de ter sido uma ponte com mecanismo giratório.

A razão de sua construção era justamente deixar passar as embarcações veleiras e, ao mesmo tempo, permitir a ligação do bairro de São José e o do Recife, na foz do rio Capibaribe. Sua construção iniciou-se em 1920 e foi inaugurada em 5 de dezembro de 1923, funcionando até a década de 1970, quando, tendo suas engrenagens danificadas e já não comportando o volume viário sobre ela, e também não havendo mais movimento de embarcações, foi desmontada e em seu lugar foi construída uma ponte de concreto, fixa, que recebeu o nome de ponte 12 de Setembro.

Ponte Princesa Isabel

O guia pede que cada tripulante da embarcação faça um pedido ao passar por cada ponte e assim vai também mostrando suas histórias e prédios, a exemplo do antigo prédio da Alfandega, atualmente um shopping center, do edifício Chanteclair, primeiro bordel de luxo do Brasil; e vários outros prédios que convidam a adentrar na história de um Brasil colonial a época que a capitania de Pernambuco era a mais próspera entre todas.

Ponte Princesa Izabel

O segundo pedido vem acompanhado de uma salva de palmas para a ponte Maurício de Nassau interligando os bairros do Recife e Santo Antônio. Considerada a primeira ponte de grande porte do Brasil, o projeto teve início em meados de 1630. O então Conde de Nassau ordenou a construção de um pilar de pedra com 12 metros de comprimento para analisar a força da correnteza e demonstrar publicamente seu interesse na construção da ponte.

Em 1641 abriu-se edital para convocar construtores interessados. Em 1642 iniciou-se a obra, já com quinze pilares construídos. Mas logo no ano seguinte a obra teve de ser paralisada. Com medo de ser humilhado, o Conde de Nassau toma a frente da construção e investe dinheiro próprio no projeto.

Ginásio Pernambucano e Assembleia Legislativa

Faltando ainda dez pilares de pedra e o orçamento estourado, o conde resolve usar madeira resistente à água ao invés de pedra. A ponte é então inaugurada em 28 de fevereiro de 1644 com o nome de Ponte do Recife. Parte em pedra, parte em madeira, a Ponte do Recife tinha o dobro do tamanho da atual indo do atual cruzamento da avenida Marquês de Olinda com a rua Madre de Deus até o atual cruzamento das ruas 1° de Março e Imperador D. Pedro II. Ganhando o título de primeira ponte de seu porte do Brasil, por ainda está em funcionamento, ponte mais antiga do país.

A terceira ponte a ser visitada é a Buarque de Macedo, considerada a ponte mais extensa entre as que ficam no centro do Recife, com 288,30m. Foi construída nas últimas décadas do século XIX e atualmente permite a utilização como binário com a ponte Maurício de Nassau para ligação ao Recife antigo.

Depois dela segue um conglomerado de prédios antigos que hoje funcionam repartições públicas. A partir dali o Capibaripe modifica seu curso e encontra com o Beberibe. A exuberante paisagem entrecortada por prédios históricos, modernos e um braço de manguezal mostram o contato com natureza em uma cidade de mais de 1,5 milhões de habitantes.

A emblemática ponte Princesa Isabel pede mais uma salva de palmas e antes de conhecê-la, os tripulantes revisitam as histórias dos imponentes prédios localizados na praça da República, a exemplo do palácio do governo, denominado de Palácio Campo das Princesas, do Teatro Santa Isabel, das cúpulas do Palácio da Justiça, e da inesquecível rua da Aurora, do outro lado do rio, com casarões e sobrados preservados. O Ginásio Pernambucano e o prédio da Assembleia Legislativa chamam atenção no traçado da cidade.

Ponte Maurício de Nassau

A ponte Duarte Coelho é a última a ser desbravada por esse roteiro. Também conhecia como ponte Maxambomba, expressão abrasileirada da expressão inglesa machine pump, que era o nome do tipo da locomotiva que cruzava a ponte, servia inicialmente para só para os trens da cidade.

A ponte inaugurada em 1943 liga duas das principais avenidas da cidade: Conde da Boa Vista e a Guararapes, é famosa por ser o local onde fica instalado o Galo Gigante da Madrugada no carnaval.

Ponte Maurício de Nassau

Com certeza, o último pedido é que se permita fazer novamente o passeio “Recife e suas Pontes” cheio de história, beleza e pernambucanidades. Mais pontes estarão por vir e muita demonstração de que ser pernambucano é mais que um natalício, é um estado de espírito.

Dicas de Viagem

  • O passeio acontece diariamente às 11h, 16h e 20h, e aos domingos também às 14h30 e 17h30, contando com um roteiro diferenciado por outros bairros do Recife. A saída é a partir do restaurante Catamaran, no bairro de São José, Cais de Santa Rita, e custa R$ 50 para adultos. É bom entrar em contato antes para verificar disponibilidades de horários e preços.

  • O visitante que embarcar no atracadouro da empresa também poderá desembarcar no cais do Marco Zero.

  • Não deixe de visitar também a ponte da Boa Vista, uma das mais belas da capital pernambucana, toda fundida em ferro. A ponte é uma das mais típicas da paisagem urbana recifense, construída por Maurício de Nassau, em 1640.

  • Recife apresenta mais de 50 pontes, sendo considerada a Veneza Brasileira. O passeio é só o começo por um dos roteiros mais atraentes do Recife.

  • Interligue o passeio pelo Capibaripe com um tour a pé pelo Recife Antigo. A cidade de Recife é famosa por seus rios e pontes e impossível não ter o contato com eles. Sem as pontes o bairro do Recife seria uma ilha.

  • Ponte Buarque de Macedo

    Conta a lenda urbana, que um boi voou na inauguração da ponte Mauricio de Nassau. A construção da ponte extrapolou as verbas destinadas à obra pela Companhia das Índias Ocidentais e o conde usou da esperteza para resolver o problema: divulgou que, durante a inauguração da ponte, um boi iria voar e determinou a cobrança de pedágio, com isso conseguiu arrecadar uma boa quantia de dinheiro. Para que o povo não se sentisse enganado e não se rebelasse, na inauguração ocorreu em 28 de fevereiro com um “boi voando”. O truque foi suspender um animal empalhado por cordas meticulosamente ocultas.

Ponte da Boa Vista não está no roteiro, mas é um ícone

*Passeio realizado a convite da empresa Catamaran Tours e receptivo e agência de viagens RVL Turismo

Gastroterapia

O Restaurante do Leite, localizado no Recife antigo e bem próximo da ponte da Boa Viagem, é considerado um dos primeiros do gênero no Brasil, aberto em 1882, quando ainda a região era comandada por donos de engenhos e o país ainda vivia a época do reinado. O restaurante continua aberto e são os frutos do mar e o bacalhau os carros-chefes do local. Os pratos variam entre R$ 60 a R$ 170.

Ponte da Boa Vista

Caso queira algo mais descontraído, a entrada de lagosta gratinada e com camarão à milanesa e cebola do bar do Gilmar, na entrada da comunidade Brasília Teimosa, no Pina, em ambiente simples e de fácil acesso. Fale com seu Gilmar através do número de telefone (81) 3466-2566. Os pratos variam entre R$ 40 a R$ 120.

#Na Bagagem

Ponte Duarte Coelho abriga no carnaval o Galo Gigante

Aracaju recebe o treinamento Visit Orlando (EUA), a ser realizado no dia 27 de abril, às 18h30, no hotel Mercure Delmar Aracaju. Será destinado a consultores de viagens e mídia especializada, quando na oportunidade os presentes receberão dicas de hotéis, novidades dos parques norte-americanos e roteiros;

Colômbia caiu no gosto dos brasileiros. Os consultores de viagens agora têm mais um destino que se consolida e une em um só roteiro praia, história e cassinos. Veja aqui Bogotá e Cartagena das Índias;

Lagosta no bar do seu Gilmar, na entrada da comunidade Brasília Teimosa, no Pina

Uma reunião entre o Governo de Sergipe e o Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, garantiu a retomada das obras do terminal de passageiros do aeroporto Santa Maria, em Aracaju, orçada em R$ 57 milhões. A previsão de entrega é de aproximadamente 12 meses após o início das obras de climatização, fingers, além de lojas e praça de alimentação;

Entre os dias 28 e 30 de abril, o Hotel Saint Andrews, empreendimento da GJP Hotels & Resorts localizado em Gramado (RS), sediará o Festival “Dom Pérignon & Caviar”, que levará para a Serra Gaúcha uma extensa programação com jantar e degustação de champagnes Dom Pérignon;

Camarão empanado

Agências de turismo se reinventam com o advento das plataformas de vendas on line. Ganham força em Sergipe os roteiros mais próximos, de transporte rodoviário, com menos dia de duração, além do ecoturismo e do turismo de aventura;

Parque da Bica, em Lagarto, é entregue a população depois de total reforma. Os moradores e turistas agora dispõem de um bosque, áreas para prática esportiva, piscinas, restaurantes e muitos outros atrativos naturais.

Fotos: Silvio Oliveira

Contato: silviooliveira@infonet.com.br

Curta: www.facebook.com.br/tonomundo



MATERIAS RELACIONADAS
VEJA TODAS PUBLICAÇÕES DO BLOG
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.

Silvio Oliveira

Jornalista, especialista em Gestão da Comunicação e responsável pela fan page Tô no Mundo. Escreve sobre Turismo para o Portal Infonet desde 2009. Atuou em jornais, a exemplo do Correio de Sergipe e cadernos especiais do Cinform, além do Portal F5 News. Passou por Assessorias de Comunicação e Agências de Notícias do Governo de Sergipe, Fundação de Apoio à Pesquisa e Extensão de Sergipe/ Projeto Mar de Sergipe e Alagoas e Prefeitura de Aracaju.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030