Webmail
Blogs


Compartilhar: 
05/12/2012 - 17:07
PC realiza a maior apreensão de crack registrada em SE
Um dos acusados informou que a droga vinha de São Paulo

(Foto: SSP)

Na manhã desta quarta-feira, 5, o Departamento de Narcóticos da Polícia Civil (Denarc) e a Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Copci) detalharam ação policial realizada no último sábado, 1º, que culminou com uma apreensão de 54 quilos de crack, registrada como a maior apreensão feita pelas polícias sergipanas.

Os agentes civis apreenderam a droga no município de Cristinápolis, divisa dos estados de Sergipe e Bahia. A apreensão aconteceu durante operação para coibir a entrada de armas e drogas em Sergipe. A droga foi encontrada no interior de um veículo Renault Logan conduzido por Jamyson Andrade Sampaio, 36 anos.

"Após blitz de rotina realizada pelos em conjunto com os agentes da Copci com o objetivo de fazer as abordagens para evitar entrada de drogas e armas no Estado, foi visualizado esse carro e o condutor do veículo apresentou uma atitude muito suspeita, estava bastante nervoso e antes mesmo de passar pela barreira ele entra para a cidade de Tomar do Geru que é antes do posto da PRF, chamando atenção dos agentes", detalhou o diretor do Denarc, Marcelo Cardoso.

Ainda segundo o delegado, após abordagem foi constatado que a carteira de motorista dele era falsa, reforçando ainda mais a suspeita de que tinha algo errado no carro, logo em seguida o mesmo assumiu que tinha droga no veículo e em seguida o carro foi conduzido para capital, e ele nos indicou o local onde estava escondido a droga, encontrada atrás do banco traseiro, onde foram encontrados os 54 quilos de crack.

Durante depoimento, Jamyson informou que a droga estava vindo de São Paulo, mas não especificou mais detalhes, disse apenas que foi responsável pelo transporte da droga e que encontrou o material dentro de um supermercado em São Paulo, no bairro da Penha, e iria deixar aqui em outro supermercado, localizado no DIA.

"Apesar dele ter cinco CPFs, o carro está em um dos nomes que ele usar. Avaliamos que essa mercadoria foi comprada por cerca de R$ 500 mil em São Paulo e lucro gerado é complicado estimar devido a divisão que é feita no repasse e na venda. Pelo nome dele verdadeiro no registrado do Estado, ele é natural de Itabaiana e responde pelo crime de homicídio e salve engano por roubo também", finalizou o delegado.

Fonte: SSP/SE

Compartilhar: 
Comentários (0)
Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam o pensamento deste portal.
Atendimento ao Cliente 24 horas: (79) 2106-8000
Política de privacidade
Expediente
Anuncie no Portal
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José
Aracaju-SE, CEP 49015-030
Todos os direitos reservados