Webmail
Blogs


Compartilhar: 
07/08/2013 - 10:21
Prevaricação: diretor do IML pode ser exonerado
IML se recusa a remover corpo em putrefação e irrita Eloy
Pressão da SSP faz equipe do IML remover o corpo em putrefação (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

Ao orientar a equipe a se recusar a fazer a remoção do corpo de um idoso que já estava em elevado estado de putrefação na terça-feira, 6, o diretor do Instituto Médico Legal (IML) cavou sua própria cova e poderá ser exonerado. O coordenador geral de perícia da Secretaria de Segurança Pública, Adelino Lisboa, compareceu ao IML na manhã desta quarta-feira, 7, e, sem esconder a irritação com o episódio, determinou pessoalmente que a equipe seguisse para a residência do idoso, onde o corpo se encontrava.

A comunidade já estava em desespero devido ao grande problema social causado pelo mau cheiro e pelo descaso do poder público àquele cenário no imóvel de número 14 da rua D, no bairro Japãozinho.

O idoso identificado como Arisvaldo Ferreira de Azevedo, 72, morava sozinho naquele imóvel, foi visto pela última vez na sexta-feira, 2, e em decorrência do mau cheiro que se proliferou nos dias seguintes na rua, a comunidade fez comunicado oficial à polícia, que acionou a perícia técnica e o IML. No entanto, conforme argumentos da equipe, o corpo não pode ser removido por se tratar de morte natural.

Jenura Pereira: indignação com descaso

O camburão do IML, que chegou ao local na tarde da terça-feira, 6, retornou e o corpo permaneceu abandonado dentro do imóvel. “Ia trabalhar hoje, mas já liguei pra minha patroa, foi uma dormida péssima”, reagiu a diarista Michele Gomes da Silva, moradora daquela rua. Ela diz que todos os moradores passaram a noite praticamente em claro, incomodados com o odor e indignados com a falta de compromisso do poder público com a questão.

O secretário de segurança pública, João Eloy, tomou conhecimento sobre o descaso ainda na terça-feira, 6, e determinou ao diretor geral de perícia providências imediatas para a remoção do corpo na mesma terça-feira, 6. O que não foi cumprido pelo IML, que seria o órgão responsável para fazer a remoção, segundo o coordenador geral de perícia, Adelino Lisboa. “Vamos instaurar inquérito administrativo para apurar a responsabilidade”, adverte o coordenador geral de perícia, Adelino Lisboa, alertando que o episódio pode caracterizar como prevaricação [retardar ou deixar de praticar aquilo que é dever do servidor público].

Autonomia

João Eloy exige a remoção do corpo

O governador em exercício, Jackson Barreto, tomou conhecimento do problema, mas não emitiu conceito. O governador falou que o secretário João Eloy tem autonomia para adotar as medidas cabíveis. Na manhã desta terça-feira, 7, o secretário João Eloy se reuniu com a assessoria jurídica e o coordenador geral de perícia, Adelino Lisboa, e determinou instauração de inquérito administrativo para apurar a responsabilidade e avaliar a permanência de Raimundo Melo no cargo de diretor do IML.

A comunidade está chocada. A aposentada Jenura Pereira de Souza, 77, ficou inconformada e não escondeu a indignação. “Gente, estou com 77 anos e nunca vi isso na minha vida”, desabafou. “Isto é uma falta de respeito com o senhor humano, com a comunidade. Se ele tivesse dinheiro, se fosse filhinho de papai nada disso tinha acontecido”, comentou.

A vendedora ambulante Maria das Graças Santos disse que costumava acompanhar o senhor Ariosvaldo diariamente. “Ele costumava dar comida para os passarinhos todo dia. Mas sábado não vimos mais”, disse. “Acho que ele morreu entre o sábado e o domingo e todo esse tempo o corpo ficou lá largado”, observou. A comunidade conseguiu finalmente localizar dois irmãos da vítima, também idosos, que também não souberam como agir.

Investigações

O secretário João Eloy orientou a equipe que comandará as investigações para agir com rigor. De acordo com informações da assessoria de comunicação da SSP, o inquérito administrativo será conduzido pela assessoria jurídica com acompanhamento da coordenação geral de perícia. A equipe que comandará as investigações fará levantamento junto ao Instituto de Criminalística, ao Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), IML e também ao Serviço de Verificação de Óbito (SVO) para identificar o tempo em que o corpo ficou exposto e as circunstâncias em que foi encontrado.

O Portal Infonet tentou ouvir o diretor geral do IML, Raimundo Melo, mas não obteve êxito. A assessoria de comunicação da SSP informou que assessores do secretário João Eloy e o próprio coordenador geral de perícia tentaram contato com o diretor do IML desde o final da tarde da terça-feira, 6, e até o momento também não conseguiram localizá-lo.

O Portal Infonet permanece à disposição do diretor do IML. Informações devem ser encaminhadas por e-mail jornalismo@infonet.com.br ou por telefone (79) 2106 8000.

Por Cássia Santana

Compartilhar: 
Comentários (0)
Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam o pensamento deste portal.
Atendimento ao Cliente 24 horas: (79) 2106-8000
Política de privacidade
Expediente
Anuncie no Portal
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José
Aracaju-SE, CEP 49015-030
Todos os direitos reservados