Centro Cultural de Aracaju recebe exposição arqueológica
A exposição segue até 13 de novembro
  
A exposição segue até 13 de novembro (Foto: Edinah Mary)

O Centro Cultural de Aracaju (antiga Alfândega), unidade da Fundação Cultural Cidade de Aracaju (Funcaju), ganhou ainda mais história e cultura com a instalação da ‘Exposição Itinerante Xingó: 9.000 anos de ocupação humana e paleontologia sergipana’, do Museu de Arqueologia de Xingó da cidade de Canindé do São Francisco. Aberta na manhã desta quarta-feira, 11, a exposição itinerante segue até o dia 13 de novembro.

A mostra possui peças que se destacam por suas características estéticas e históricas, fazendo uma verdadeira viagem há milhares de anos antes da ocupação dos portugueses no Brasil. É possível encontrar na exposição fósseis de animais gigantes, a exemplo do tigre de dente de sabre, preguiças e elefantes que viveram em Sergipe há cerca de 18 mil anos atrás, e também equipamentos de sobrevivência e esqueletos de povos indígenas que habitavam terras sergipanas antes dos europeus.

De acordo com a coordenadora de exposições, Railda Nascimento Silva, a mostra tem como objetivo fazer com que as pessoas se conheçam a partir da história de colonização do lugar onde vivem, no caso aqui em Sergipe. “A proposta dessa exposição é justamente mostrar as características dos primeiros povos das terras sergipanas e também de alguns animais já extintos, mas que aqui viveram. É importante que as pessoas tenham uma concepção maior sobre sua história e aqui, por exemplo, eles sairão compreendendo que nunca foram encontrados fósseis de dinossauros em terras sergipanas, mas de gigantes animas que habitavam na região do São Francisco e também do litoral”, explicou.

A exposição itinerante também trabalha com o contexto sensorial onde as pessoas tem a oportunidade de tocar nas peças, onde poderão sentir a diferença entre ossos de animais similares atuais e dos encontrados há milhares de anos. “Alguns museus isolam as pessoas dos objetos. Aqui, nós fazemos o contrário, queremos que as pessoas toquem, sintam os objetos expostos porque eles poderão perceber a diferença entre um fóssil e um osso, por exemplo”, complementou Railda.

Quem tiver interesse em conhecer a exposição é só fazer uma visita ao Centro Cultural de Aracaju, localizado na praça General Valadão, no Centro de Aracaju, que funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados, das 8h30 às 13h. Mais informações pelo tel. (79) 3214-5387.

Fonte: AAN

Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030