Webmail
Blogs


Compartilhar: 
26/05/2013 - 19:44
Sergipe é campeão Sergipano em jogo dramático com River
Carlinhos marca aos 45 do segundo tempo e leva título

Carlinhos foi o herói do título ao marcar aos 45 do segundo tempo (Fotos: Portal Infonet)

Batistão esteve lotado: PM precisou aumentar espaço colorado para caber torcida

Givanildo Salles também conquistou seu primeiro título como treinador

Desespero do River ao ver o título escapar no último minuto

Para alguns superticiosos, a chuva é um sinônimo de renovação, de prosperidade, da beleza e da união entre as pessoas. Talvez nem todo torcedor do Sergipe creia nesse tipo de mística, mas foi esse o símbolo que interpretou o que aconteceu na tarde nublada do domingo, 26.

Entravam em campo Sergipe e River Plate na grande final do Campeonato Sergipano de 2013. Um jogo sem favoritos, com duas equipes qualificadas, que mostraram e provaram porque chegaram ao topo do torneio estadual.

Um jogo duro, no qual o Sergipe abriu 2 a 0 no primeiro tempo, viu o brilhante Edmilson Santos mexer na equipe para conquistar o empate suado.

Mas tanto ele, quanto Givanildo Salles, do lado vermelho do duelo, só não imaginariam que o gol do título sairia aos 46 minutos, de ninguém menos do que um dos jogadores mais badalados do ano: o lateral multifuncional, Carlinhos, brilhou ao aproveitar a sobra de uma bola rebatida e marcar o gol da vitória aos 45 minutos do segundo tempo.

O jogo

Com um minuto de jogo, Fernando Pilar estica na esquerda para Fabinho. O baixinho enxergou o avançou de Lucão e passou, o atacante avançou parao centro e bateu forte, sem chances para Pablo.

Com 5 minutos, Rafael é acionado, invade a área e cai na saída de Pablo, o juíz goiano nada marca e pune o meia com cartão amarelo.

O River saia com qualidade nos contra-ataques, mas tambem ficava muito exposto pela dificuldade em evitar as subidas de Carlinhos, Pilar e Rafael no meio.

O que marcava a partida eram as roubadas de bola no meio de campo com puxadas de contra-ataque. As duas equipeas se mostravam claramente preocupadas em destruir as jogadas já na sua criação, temendo a qualidade dos armadores.

Foi o que aconteceu a favor do Sergipe. A tomada de bola no meio chegou aos pés de Carlinhos, que enxergou o avanço de Rafael e fez um lançamento sensacional. Dentro da área estava Fabinho Cambalhota, que sempre oportunista, recebeu o passe à meia altura e entrou de carrinho para ampliar o placar para o Gipão.

O mesmo lance quase se repetiu em mais uma roubada de bola, mas Carlinhos não conseguiu inverter com precisão, quando Lucão já passava desmarcado.

A marcação do River não cessou, e o Sergipe passou a investir em lançamentos mais longos, com invertidas de bola, que tinha sucesso principalmente por conta do nervosismo da zaga do River.

Do outro lado, quando a marcação vermelha vacilou, Everton avançou pelo meio e soltou uma bomba que explodiu no travessão de Marcão.

O River cresceu no fim do primeiro tempo com a queda de ritmo do Sergipe. Pedrino teve boa chance na frente da área e bateu forte, para uma boa defesa de Marcão. Na sequencia o River desperdiçou tres escanteios consecutivos antes do fim da primeira etapa.

Segundo tempo

O River voltou mudado para a segunda parte. Era hora de arriscar, e Edmilson Santos o fez. Sacou o zagueiro Marcio e o meia Everton para a entrada de Marcelinho e Claudiney, dois jogadores ofensivos de velocidade. Com isso o volante Wallace seria improvisado na zaga.

Aos 5 minutos, Marcelinho avançou e foi derrubado por Léo bem na entrada da área. na cobrança Leandro Kivel bateu forte e viu a bola desviar na barreira e enganar Marcão.

O jogo se reequilibrou e o Sergipe passou a assustar a zaga improvisada do River, mas esbarrava numa partida impecável de Raulino e Pedrinho, que tinha a missão de parar ninguém menos que Carlinhos.

Claudinei teve uma grande chance de empatar, quando recebeu pela esquerda - lado pelo qual ficou designado a jogar - e bateu com a direita, mas com muita força.

O Sergipe mudou pela primeira vez com Leozinho, entrando no lugar de Rafael, que já mostrava cansaço. No primeiro lance o Sergipe ja chegou com perigo pela direita, mas Fabinho foi pego em impedimento.

O jogo se resumia à posse de bola do River e contra-ataques do Sergipe. Em uma boa disparada de Leozinho, Fabinho vacilou e deixou escapulir. No cruzamento a zaga do River foi bem.

David avançou, segurou a bola para a movimentação do ataque e surpreendeu Pablo com uma bomba rasteira, mas Pablo voltou a fazer uma grande defesa, mostrando porque é favorito a melhor goleiro do torneio.

Aos 32 minutos em rápido contra-ataque do River, o experiente Raulino avançou e lançou Claudinei, que viu Kivel invadindo a area, o atacante entrou, deu o corte no zagueiro e bateu em chances para Marcão. O River empatava a partida de forma valente, com um golaço do seu destaque no torneio.

O Sergipe respondeu rapido e Fabinho foi tocado na frente da area, mas o juiz goiano André Luiz Castro exitou em marcar um novo penalti. Na sequencia a zaga deu novamente muito espaço para Leandro Kivel que quase vira o jogo.

A ultima opção de substiuição de Givanildo Salles, saiu do banco e surpreendeu todos os presentes. Rodrigo, o voltante guerreiro, saiu cansado para a entrada de Almir Sergipe, meia atuou raras vezes na competição.

Aí que brilhou mais uma vez, a visão do treinador Givanildo Salles. Aos 45 minutos do segundo tempo, após jogada rápida de contra-ataque, Lucão atravessou na frente da área e passou para Almir Sergipe bater forte. A bola desviou na zaga, enganou o goleiro Pablo e caiu perfeitamente no pé de Carlinhos, que empurrou para as redes.

O Batistão explodiu em festa. Jogadores e comissão técnica corriam para todos os lados comemorando com os torcedores que choravam nas arquibancadas. Um fim de jogo que não poderia ser diferente: batalhado, sofrido, e que selou o fim de um castigo de 9 anos sem títulos do Club Sportivo Sergipe.

Para piorar a aflição colorada, o River ainda teve um gol anulado por impedimento, no último momento de crueldade do destino com o sofrido coração vermelho e branco. Mas passou. O Sergipe é, com todas as honras e merecimentos, o Campeão Sergipano de 2013.

Com um time modesto, aliando juventude e experiência, jogadores caseiros e algumas surpresas como o atacanete Lucão – que foi decisivo na grande final – o Sergipe acaba com a seca de títulos e agora se prepara para a Série D do Campeonato Brasileiro. 

O grupo do Sergipe é um páreo duro: CSA, Botafogo (PB), Juazeirense e Vitória da Conquista.

FICHA TÉCNICA - SERGIPE 3X2 RIVER - (FINAL) 26-05-2013
SERGIPE: Marcão, Carlinhos, Emerson, Itamar, Leo e David, Fernando Pilar, Rodrigo e Rafael, Fabinho Cambalhota e Lucão
RIVER: Pablo, Magno (Glauber), Bira, Marcio (Claudonei) e Pedrinho, Raulino, Wallace, Lelê e Everton (Marcelinho), Bibi e Leandro Kivel
Arbitragem: André Luiz de Freitas Castro (GO), Nelza Inês Back (SC) e Nadine Schram Câmara (SC)
Cartões: Sergipe: Rafael, Leo, Lucão, Emerson; River: Magno, Bira

Por Irlan Simões

Compartilhar: 
Comentários (7)
Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam o pensamento deste portal.
Charles Neves
26/05/2013 às 23:44
A entrada no estádio bastante complicada. Tinha 03 portões abertos para entrar a multidão rubra, assim, muitos empurrões e aglomeração. Na saída da arquibancada, apenas uma aberta, o que se constitui num atentado a segurança.Se tivesse que sair às pressas seria uma tragédia. Teve um torcedor que passou mal na arquibancada (no final do jogo), resultado deve que esperar os torcedores passarem antes de remover o torcedor, em que pese o mesmo estava sendo assistido por um da área medica.
Edgar Santos
26/05/2013 às 23:07
Título merecido para o Sergipe, que foi a melhor equipe do campeonato sergipano. Parabéns também ao técnico do River, Edmilson Santos, que tirou o time da zona de rebaixamento e levou-a à final.
Marcelo Alvarenga
27/05/2013 às 08:02
Sou Confiança, mas dou os parabéns ao Sergipe que ganhou com méritos o título, e agora, é hora de esquecermos as rivalidades locais e nos unirmos pelo Sergipe e por Sergipe na série D, onde terá um grupo difícil com os tradicionais CSA e Botafogo-PB. O Sergipe subindo valorizará o nosso futebol e será benéfico a todos(inclusive Confiança e Itabaiana) que ganharão motivação extra para reforçarem seus elencos.
Atendimento ao Cliente 24 horas: (79) 2106-8000
Política de privacidade
Expediente
Anuncie no Portal
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José
Aracaju-SE, CEP 49015-030
Todos os direitos reservados