Família de oficial fala em ameaças e pede escolta
O padeiro Jailson Alves foi baleado junto com o sobrinho
28/04/2012  12:17

Velório do irmão do tenente (Fotos: Portal Infonet)

A família do padeiro Jailson Alves de Souza, irmão do tenente da Polícia Militar, acusado de praticar a execução de três pessoas na última sexta-feira, 27, pede escolta policial. Segundo a irmã da vítima, a gangue dos suspeitos que participaram a troca de tiros ameaçou matar os membros da família do oficial da polícia, Genilson Alves.

Segundo a irmã do tenente, Gisele Monteiro, Jailson saiu com o seu filho, identificado como o agente, Ralf Monteiro, para comprar um remédio quando aconteceu a troca de tiros. “O meu irmão estava na garupa da moto do meu filho. Eles perceberam que estavam sendo seguidos e acelerou. Neste momento, um dos suspeitos atirou nas costas do meu irmão que caiu da moto junto com meu filho. Foi quando começou a troca de tiros”, explicou.

Ainda segundo Gisele, o seu filho é agente penitenciário e por isso estava armado. “ Ele atirou em legítima defesa, os dois iam ser baleados. Depois do tiroteio eles foram para o hospital. E a polícia também levou os dois homens feridos para o hospital, mas a gangue deles ao saber que um dos amigos estava baleado foi para o mesmo hospital. Por isso, ninguém sabe quem realmente começou a confusão”, contou.

Jailson estava na garupa de uma moto quando foi atingido e morto

Jailson Alves dos Santos possui três filhos e trabalhava como padeiro em uma panificação próximo a sua casa, no bairro Veneza. De acordo com a irmã Gisele, os familiares se dirigiram ao hospital ao saber da notícia, já o tenente foi um dos últimos a chegar ao local. “ Meu filho está baleado e preso na Delegacia Plantonista porque se defendeu. E ainda estamos sem nenhuma proteção depois de sermos ameaçados pela gangue dos dois suspeitos que tentaram assaltar meu filho e meu irmão. Minha mãe e meu irmão (o tenente) estão sedados com medicamentos”, afirmou.

A informação de que o tenente se encontra sedado e em local conhecido da família é contrária a versão da polícia de que o mesmo permanece foragido e sendo procurado.

Por Adriana Freitas e Kátia Susanna

Oficial teria entrado no Huse acompanhado de PM´s
Mais de oito já foram ouvidos sobre o triplo homicídio
Começam a ser liberados os corpos das vítimas no Huse
Massacre: quatro pessoas são mortas dentro do Huse
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
cassio
30/04/2012 às 00:03
Condenar uma pessoa quando até mesmo a policia civil ainda não concluiu os trabalhos de investigação que aponte de onde partiu os tiros que mataram os inocentes, é pedir demais, quanto aos bandidos, se estes morreram em decorrencia do tiroteio, é porque eles atiraram para matar os policiais, e os policiais apenas se defenderam, não vamos inverter os papeis, a força de segurança do estado, são os policiais militares e os policiais civis, e não os bandidos, quem devem andar armados é o policial.
MATIAS
29/04/2012 às 15:34
SE OUVE TROCA DE TIROS, O IRMÃO DO TENETE ESTAVA ARMADO TAMBEM. POR QUE ELE ESTAVA COM UMA ARMA NA CINTURA SE ELE NÃO ERA POLICIA.
wellington
29/04/2012 às 15:25
DA QUI A POUCO, VÃO DIZER QUI QUEM MATOU AS 03 PESSOAS FOI OSAMA BILADEN ,NAÕ O TENETE ,ELE AGORA É O COITADINHO.ESSE MONSTRO TEN QUE IR PARA CADEIA LOGO,SE NÃO A FAMILIA DELE VAI PEDIR UMA MEDALHA DE HONRA AO MERITO.
Novidades
Anúncio
Classificados
Anuncie Grátis
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030