Corredor Cultural homenageia intelectuais sergipanas
A mostra foi composta por 26 telas bordadas
18/05/2017  14:53
A professora Ivone Mendonça de Souza e o secretário Augusto Gama      

Três intelectuais que deixaram suas marcas na história da literatura e educação de Sergipe, Quintina Diniz, Zizinha Guimarães e Lígia Pina, foram as homenageadas da nova exposição do Corredor Cultural Irmão. O espaço, gerido pela Secretaria de Estado da Cultura (Secult), lançou nesta quinta-feira, 18, a mostra “As mãos que Bordam os dias”, composta por telas em bordado da artista visual Maria Góes.

Na cerimônia de abertura, o Secretário de Estado da Cultura João Augusto Gama agradeceu aos homenageados pelo legado deixado.  “Estas intelectuais hoje homenageadas, assim como tantos outros presentes aqui, são pessoas que honram o Estado pelo trabalho que desenvolvem. Fico indo e voltando nas minhas lembranças da infância e atuais, e vejo que vocês cumpriram com a sua missão, ensinando Sergipe com talento, dedicação e seriedade. Só resta nos resta dizer a vocês um muito obrigado do Governo, em nome do povo de Sergipe”, afirmou.

Nesta edição o Corredor deferiu Menções Honrosas para Genésia Fontes (Dona Bebé), Zilná Santana Falcão, Maria das Graças Azevedo Melo, Maria Angelina Galrão (Mariah), Glorita Portugal, Maria da Conceição Ouro Reis, Professora Josefina Cardoso Braz, Maria Lúcia Marques Cruz e Silva, Ofenísia Freire, Maria do Carmo Therezinha Lobão Ayres de Souza (Dona Lalía) e Ivone Mendonça de Souza.

“Esta homenagem não me surpreende, modesta a parte, porque temos consciência do dever cumprido. Tenho uma história que construí com muita dedicação e compromisso com a educação do nosso Estado. Então, recebo esta homenagem com muito carinho, sabendo que a Secretaria acertou, tanto comigo, como com os outros que também fizeram a história da educação e da cultura de Sergipe”, ressaltou a professora, Ivone Mendonça de Souza.    

A mostra foi composta por 26 telas bordadas com temáticas voltadas a cultura sergipana e nordestina. Fotógrafa de profissão, Maria Góes contou que arte em bordados surgiu na sua vida há dois anos. “Eu aprendi a bordar quando era menina, ensinada pelas minhas tias, mas deixei de lado. Depois que me aposentei fiz uma tela para minha casa e todos elogiaram. Então, pouco antes do meu aniversário de 80 anos, resolvi fazer  uma série para a minha festa e não parei mais. Achei maravilhoso o convite para expor no corredor, pois é sempre bom para o artista poder mostrar seu trabalho”, contou.

Em visita à exposição, a artista visual, Jacira Moura, elogiou as telas e disse ter ficado impressionada com o trabalho de Maria Góes. “Fazer a mão um bordado com esse é um trabalho incrível, lindo demais, eu tinha quer vir prestigiá-la. Parabenizo a iniciativa do Estado em usar este espaço como incentivo para o artista. Tenho orgulho de já ter exposto aqui, e incentivo a todos os artistas a participarem também.”, afirmou

No final da cerimônia, o Grupo Musical 2/4 de Laranjeiras agraciou o público com uma apresentação de cordas, composta de músicas da MPB.  A mostra segue aberta ao público de segunda a sexta-feira das 8h às 13 horas na sede da Secult, localizada na Rua Vila Cristina, 1051, Bairro Treze de Julho, em Aracaju.

Fonte e Foto: Secult

Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Novidades
Anúncio
Classificados
Anuncie Grátis
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030