TCE determina suspensão de licitação do lixo
Edital publicado pela PMA contraria Lei de Licitações
18/02/2016  12:14
Ulices Andrade: medida pela suspensão da licitação (Fotos: Cássia Santana/Portal Infonet)

A Prefeitura de Aracaju está obrigada a suspender a concorrência pública para coleta de lixo marcada para a terça-feira da próxima semana, 23. A determinação vem do Tribunal de Contas do Estado (TCE) tomada em sessão plenária realizada nesta quinta-feira, 18. Por unanimidade, os conselheiros acolheram denúncia formulada pela empresa Torre Empreendimentos e entendem que o edital publicado pela prefeitura contraria a Lei de Licitações [8.666/93]. Esta é a segunda vez que a licitação é suspensão em decorrência de denúncias.

Na denúncia, a Torre Empreendimentos destaca cerca de 14 itens que infringem a legislação brasileira. Na ótica do advogado Marcos Santa Rita, que defende os interesses da empresa, o edital está “eivado de vários vícios, ilegalidades e inconstitucionalidades”. O advogado elogia a iniciativa do TCE. “Os conselheiros fizeram justiça”, observou.

O conselheiro Ulices Andrade, relator do processo, destacou a inversão das etapas na licitação contida no edital publicado pela Prefeitura de Aracaju como um dos pontos mais polêmicos para a emissão de medida cautelar pela suspensão da licitação. Os demais pontos, conforme justificou o conselheiro, serão destacados quando o TCE analisar o mérito do processo.

Marcos Santa Rita: edital eivado de vícios e irregularidades

O advogado Marcos Santa Rita observa que, no edital, a Prefeitura de Aracaju cria uma nova modalidade de licitação, uma competência privativa da União. Além destes vícios, o advogado destaca que a Prefeitura deve constar, no edital, que a empresa fica proibida de transportar os trabalhadores em condições subumanas. “Nenhum coletor de lixo deve ser conduzido sem proteção”, observa, destacando decisão do Ministério Público do Trabalho que obriga a Prefeitura de Aracaju a exercer fiscalização para coibir o transporte irregular de trabalhadores.


PMA

A Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) enviou nota nesta sexta 19/02 às 16h47 e publicamos na íntegra:

Sobre medida cautelar do Tribunal de Contas de Sergipe, que suspendeu a licitação para a limpeza pública de Aracaju, a Comissão Especial de Licitação esclarece em relação a supostas irregularidades e ilegalidades no edital:
A Lei Municipal 4.362/13, que trata da inversão de fases, está em pleno vigor e não sofreu, até o momento, nenhuma ação de inconstitucionalidade por parte do Tribunal de Contas nem do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, ou seja, está em vigor e com eficácia, devendo ser respeitada por todos da administração municipal. Dessa forma, não existe ilegalidade. A Comissão Especial de Licitação está apenas cumprindo a Lei em vigor, conforme determina o princípio da legalidade previsto no Art. 37 Caput da Constituição de 1988.
Vale destacar que a Lei Federal 8.666/93, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública, em seu Art. 115, permite a edição de regulamentos próprios para integrantes da Administração indireta, controlados direta ou indiretamente pela União, Estado, Distrito Federal e Municípios.

È oportuno lembrar que também há uma Lei Estadual (5.848/06) que trata da inversão de fases. Ela está em vigor há 10 anos e, até o presente moment

o, não sofreu qualquer declaração de inconstitucionalidade nem por parte do Tribunal de Contas nem do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe.

O Portal Infonet alterou matéria acrescentando  as informações enviadas pela PMA. 


Por Cássia Santana

Lixo: denúncia da Torre suspende licitação
Descarte de lixo da construção civil será monitorado
Lixo: Sindelimp vê vícios em edital da PMA
Lixo: TCE encontra rombo de R$ 50 milhões na Torre
Coleta de lixo suspensa mais uma vez nesta quinta-feira
Torre mantém suspensa coleta de lixo
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Cledson
18/02/2016 às 15:18
PERFEITO: A TORRE AGE DISSIMULADAMENTE, POIS NÃO CUMPRE O QUE EXIGE DOS OUTROS... E A PREFEITURA É INCOMPETENTE E FAZ UM EDITAL ILEGAL! É SER MUITO BURRA!
Baiano
18/02/2016 às 15:11
Até parece que a Torre levava seus trabalhadores em um carro com Ar-condicionado. Só pq vai perder a mamata...
souza
18/02/2016 às 14:57
Um dos motivos de suspender a licitação é que não deve-se transportar os trabalhadores em condições subumana? É pra rir? A TORRE TRANSPORTA ATUALMENTE COMO OS SEUS TRABALHADORES DOS CARROS DE LIXO? OS EMPREGADOS CORREM COMO LOUCOS, VIVEM PULANDO DO CHÃO PARA O CARRO, EM MOVIMENTO E SÃO TRANSPORTADOS SOLTOS NOS CAMINHÕES DE LIXO. NÃO USAM MÁSCARAS E A MAIORIA NÃO USAM LUVAS! QUAL DEVE SER A PUNIÇÃO PARA A EMPRESA QUE JÁ TRATA O FUNCIONÁRIO COMO LIXO HEIM? A TORRE MERECE O QUÊ?
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030