Lixo: dono da Torre Empreendimento continua preso
Empresário é acusado de tentar obstruir investigação
11/04/2017  15:36
Antonio Torres: acusado de obstruir a investigação (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O empresário José Antonio Torres Neto, dono da empresa Torre Empreendimentos, continua detido na 8ª Delegacia Metropolitana. O advogado Evânio Moura ingressou com habeas corpus para tentar liberá-lo, mas até o momento não obteve êxito. O remédio jurídico ainda não foi julgado no Tribunal de Justiça.

De acordo com o advogado, a prisão foi desnecessária. Ele compreende que o cliente não criou dificuldades para a investigação, compareceu à Delegacia de Polícia para prestar depoimento espontaneamente, sem ser intimado pela autoridade policial, e poderia ser beneficiado com alvará de soltura por ser primário e ter bons antecedentes.

O delegado Gabriel Nogueira tem prazo para concluir o inquérito policial que investiga supostas irregularidades em contratos da Torre com a Prefeitura de Aracaju para coleta de lixo e limpeza da cidade. Em conversa com o Portal Infonet, o delegado garante que até terça-feira da próxima semana, 18, concluirá as investigações. Ele revelou que já possui um entendimento sobre o caso, mas prefere só divulgar depois que concluir a investigação.

O prazo para conclusão do inquérito vence na terça-feira, 18, por ter suspeito preso. Havendo alvará de soltura em favor de Antonio Torres, o prazo volta à normalidade, de 30 dias, contados a partir da data da portaria que instaurou o inquérito policial. Mas o delegado pretende concluir esta investigação em breve prazo.

Para o delegado, a situação do empresário ficou mais complicada a partir do momento que tentou obstruir a investigação escondendo o aparelho de telefone celular que ele utilizava regularmente. O aparelho entregue à polícia não seria aquele que ele costumava usar e que seria efetivamente o alvo da investigação.

Antonio é também acusado de ter jogado um aparelho no lixo do banheiro masculino da Delegacia de Crimes Contra a Ordem Tributária e Administração Pública, no dia em que ele foi prestar depoimento. Para o delegado, este comportamento é classificado como fraude processual, o que agrava a situação do empresário no processo.

Por Cássia Santana

MATERIAS RELACIONADAS
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Ruan dias
11/04/2017 às 15:58
É melhor fazer a delação para facilitar as coisas , entregue todos , não vou esquecer até porque o lixo está na porta.
Novidades
Anúncio
Classificados
Anuncie Grátis
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030