OAB e MPE comemoraram decisão sobre o IPTU
Procurador-geral diz que TJ manda recado a governantes
21/03/2018  19:00
Rony, ao centro, Henri Clay, à direita, e Elber: vitória da cidadania (Fotos: Portal Infonet)

O Ministério Público Estadual (MPE) e a Ordem dos Advogados do Brasil em Sergipe (OAB/SE) comemoraram a decisão do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ/SE) ao declarar a inconstitucionalidade da lei municipal, aprovada em 2014,  alterando a base de cálculo da planta do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU).

Na ótica do procurador-geral de justiça, Rony Almeida, a decisão dos desembargadores ecoa como um recado nítido aos gestores públicos. “O que queremos dizer aqui é que ninguém está acima da lei, que os governantes têm que obedecer a constituição”, ressaltou. “Esse recado fica dado: os governantes não podem governar dissociado daquilo que espera a sociedade”, complementou, considerando que a decisão do TJ se caracteriza como uma grande vitória para a cidadania.

O presidente da OAB/SE, Henri Clay Andrade, entende que a inconstitucionalidade da lei que entrou em vigor no ano de 2014 afeta também os efeitos da nova lei do IPTU, sancionada pelo prefeito Edvaldo Nogueira (PC do B) no ano passado. “Com esta decisão do tribunal, a lei sancionada no ano passado pelo prefeito Edvaldo Nogueira perde a eficácia prática porque a lei do ano passado endossa a lei de 2014”, observa o presidente da OAB/SE. “Se a lei de 2014 acabou de ser declarada inconstitucional, voltamos à lei anterior à lei de 2014”, ressaltou.

Momento da votação: expectiva pela inconstitucionalidade

Para o vereador Elber Batalha Filho (PSB) [também autor de uma das ações direta de inconstitucionalidade movida contra a aplicação da lei aprovada em 2014], ao acatar os argumentos do seu partido, o Tribunal de Justiça reconhece que o prefeito Edvaldo Nogueira não revogou a lei aprovada na gestão passada. “O tribunal reconhece que não houve revogação do aumento do IPTU e sim que foi dado um novo aumento para o IPTU pela atual gestão”, destaca.

Agora, conforme Elber Batalha Filho, é saber se Aracaju efetivamente possui uma lei que define os parâmetros para a cobrança do IPTU. “Teoricamente, todas as leis do IPTU foram revogadas neste momento”, entende. Para o parlamentar, deve-se abrir o debate para definir se a Prefeitura seguirá os parâmetros estabelecidos pela lei anterior, criada nos anos 1990, ou se o prefeito Edvaldo Nogueira fará um novo projeto para definir a nova planta de valores.

Procurada pelo Portal Infonet, a Secretaria Municipal de Comunicação Social de Aracaju informou que a Procuradoria Geral do Municipal está analisando a questão.

Por Cássia Santana   

MATERIAS RELACIONADAS
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
pedrito
22/03/2018 às 08:30
Ótima decisão. Ser aliado ou ex, não impede de ver coisas erradas e calar. Já nos roubam tanto, e Edvaldo foi à TV dizer q revogaria toda maldade de JA a respeito do IPTU, e nada. Aliás fui eleitor de Edvaldo.
Cardoso de Almeida
22/03/2018 às 07:44
A política é algo de estranho. Ontem o Elber era aliado firme do governo estadual. Políticos são escorregadios e midam à medida dos seus interesses pessoais e partidário. A ação chegou tarde, pois já pagueia desgraça do iptu. O município deveria ressarcir e fazer o ajuste do valor pago a mais no próximo ano. De resto... Vote Nulo.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030