Desembargador suspende meia passagem aos domingos
Fetrabase entrou com ação direta de inconstitucionalidade
08/06/2018  18:30

Desembargador suspendeu efeitos da lei de meia passagem (Foto: arquivo Portal Infonet)

O desembargador Osório de Araújo Ramos Filho suspendeu, em caráter liminar, a lei municipal que concede a todos os passageiros o direito de pagar meia passagem aos domingos no transporte coletivo de Aracaju.

A decisão faz parte de uma ação direta de inconstitucionalidade proposta pela Federação das Empresas de Transporte dos Estados da Bahia e Sergipe (Fetrabase) em face da Câmara de Vereadores de Aracaju e da Prefeitura de Aracaju, objetivando a declaração da inconstitucionalidade da lei nº 5.024/2018.

A Fetrabase argumentou que a lei tem vícios de iniciativa, pois foi proposta pelo vereador seu Marcos, e não pelo prefeito Edvaldo Nogueira; e alegou que, por lei, as tarifas do transporte coletivo devem ser fixadas pelo poder executivo. A federação defendeu ainda que a lei é inconstitucional por que não indica a fonte de recursos necessárias à sua implantação.

Intimado a se manifestar sobre o assunto, o prefeito Edvaldo Nogueira opinou pela declaração de inconstitucionalidade da lei. Já a CMA defendeu a legalidade da lei da meia passagem e alegou que a matéria não é de inciativa reservada ao chefe do Poder Executivo, tampouco gerou aumentou de despesa pública ou afetou o equilíbrio econômico-financeiro do contrato com as empresas do transporte coletivo.

Após analisar os autos, o desembargador deferiu a liminar, suspendendo os efeitos da lei até julgamento definitivo, e determinou a notificação da CMA e da PMA para que se manifestem no prazo de 30 dias. Por fim, o magistrado determinou que a decisão seja submetida ao Plenário do TJ. A próxima, conforme assessoria de comunicação do TJ, possivelmente será na próxima quarta-feira, 13.

A Câmara de Vereadores de Aracaju não foi notificada, mas informou que vai se manifestar sobre o assunto quando houver notificação judicial. a Prefeitura de Aracaju optou por não comentar a decisão. 

por Verlane Estácio

MATERIAS RELACIONADAS
Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
José Carlos de Menezes Filho
09/06/2018 às 16:48
Se a metade dos direitos que estão na constituição federal fossem realmente cumpridas em favor do povo, a maioria da população teria uma vida no mínimo digna, mas o que vemos é bem diferente, uma pequena classe dominante acompanhada de toda luxuria e altos salários que só trabalha o tempo todo em desfavor da população que só serve para pagar altos impostos e votar nas eleições.
Melo
09/06/2018 às 15:40
Não houve análise de mérito por parte do desembargador, mas sim vício de iniciativa porque isso é assunto de iniciativa exclusiva do prefeito. Pq é tão difícil entender?
Diego
09/06/2018 às 10:55
O judiciário agora manda no legislativo? Nunca vi suspende uma lei feita nos trâmites normais.
Novidades
Anúncio
Classificados
Infonet
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030