O Rio São Francisco visto por João Alves
Livro organizado pelo ex-governador será lançado em Aracaju no próximo dia 28
21/10/2008  15:45

‘Toda a Verdade Sobre a Transposição do Rio São Francisco’. Este é o título do livro, que tem prefácio de Ives Gandra da Silva Martins, e que foi organizado pelo ex-governador João Alves Filho. O lançamento será em Aracaju, no próximo dia 28, às 19h, na Livraria Escariz do Shopping Jardins.

No dia seguinte, 29, também às 19h, o lançamento será em São Paulo, na Livraria Cultura, da Avenida Paulista. O livro abre com um extenso trabalho do ex-governador, intitulado ‘Uma Análise da Viabilidade do Projeto de Transposição de Águas do Rio São Francisco’ e comporta artigos de personalidades brasileiras como Manoel Bomfim Ribeiro, João Abner Guimarães Jr., João Suassuna, Eduardo Lima de Matos, Jorge Khoury, Apolo Heringer Lisboa, Anthonio Thomaz Gonzaga da Matta Machado e se encerra com um artigo de outro sergipano, Luiz Carlos da Silveira Fontes.

Naturalmente que todos os artigos voltam-se contra a transposição do Rio São Francisco, que está sendo tocada pelo Batalhão de Engenharia do Exército Brasileiro, sem que se tenham feito estudos de impacto ambiental.

Custo da obra será de R$ 10 bilhões

Diz o dr. João em determinado trecho: “O volume de água a ser retirado do Rio São Francisco será de 126m3/s, cabendo observar que se, de fato, essa água fosse destinada ao consumo humano, como a propaganda enganosa do governo procura passar à opinião pública – alegando o próprio presidente da República que só se vai retirar do rio  uma ‘cuia d´água’ para matar a sede de pobres sertanejos carentes –, daria, adotando-se padrões de consumo rural, para atender a uma população de mais de 100 milhões de pessoas. Ocorre que a população rural sem água do semi-árido, a qual o projeto supostamente se destina, não ultrapassa 5 milhões, dos quais serão atendidas pelo projeto, em suas casas, de 500 a 700 mil pessoas”. O dr. João revela que o custo oficial previsto da obra será de R$ 6,5 bilhões, porém, cálculos realizados por técnicos independentes admitem um patamar bem acima, de R$ 10 a R$ 15 bilhões.

No seu trabalho, o dr. João Alves propõe, como alternativa à transposição, a construção de açudes e a exploração da água no subsolo nordestino, e a interligação destas com cisternas espalhadas por todo o Nordeste. Seria, segundo ele, um projeto muito mais barato, com a garantia de não pôr no leito de morte o São Francisco, e ter água em abundância que não seria consumida pelo sol inclemente do Nordeste, o que fatalmente acontecerá as calhas abertas que vão levar água para o Nordeste Setentrional.

Ele comenta que o povo brasileiro é fascinado por projeto megalomaníacos e os políticos brasileiros se rendem a eles. Faz até um mea-culpa (p. 45) ao falar da ponte que liga Aracaju-Barra. E finaliza: “Em resumo, o projeto da transposição é tecnicamente errado, socialmente injusto, ecologicamente destrutivo e politicamente desastroso, por causar uma insana crise federativa”. Editado pela Mauad, este livro promete dar o que falar...

Por Ivan Valença

Compartilhar:
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
Novidades
Anúncio
Classificados
Anuncie Grátis
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José | Aracaju-SE, CEP 49015-030