Webmail
Blogs


Compartilhar: 
03/06/2013 - 10:22
Morre aos 76 anos o prefeito de Japaratuba, padre Gerard
Ele estava internado no Hospital São Lucas vítima de câncer

Padre Gerard Olivier (Foto: Aline Acioli)

Acabou de falecer em um apartamento do Hospital São Lucas, aonde estava internado desde a última sexta-feira, 31, o prefeito de Japaratuba, Padre Gerard Lothaire Jules Olivier (PT), o padre Geraldo Oliveira, 76.

Ele sofria de um câncer que foi detectado no pulmão, mas desencadeou uma metástase óssea. O estado de saúde do administrador se agravou na manhã desta segunda-feira, 3.

A prefeitura de Japaratuba informa que o velório do líder Gerard Lothaire Jules Olivier, o padre Geraldo, será às 17h de hoje, 3, na Igreja Nossa Senhora da Saúde, localizada em Japaratuba. O enterro do prefeito acontece amanhã, 4, às 9h no cemitério da cidade. A Prefeitura decretou luto oficial de três dias.

Histórico

Nascido em 10 de outubro de 1936 em Tournai, na Bélgica, Gerard Lothaire Jules Olivier, mais conhecido como padre Geraldo, é um dos maiores políticos que já existiu na história de Japaratuba. Estando atualmente em seu quarto mandato como prefeito do município, o filho de Richard Olivier e Elizabeth Cardon, aprendeu ainda na infância – quando viu membros de sua família serem prisioneiros na Segunda Guerra Mundial – a persistir em seus objetivos, com garra e determinação, sem esmorecer diante das dificuldades.

Descobriu sua vocação para padre ao se envolver em movimentos de juventude, através de uma caminhada de engajamento pelos trabalhos desenvolvidos pela Ação Católica, coordenada pelo famoso Cardeal Cardin, que aplicava o método do ver, julgar e do agir.  Decidiu, então, entrar para o seminário na Bélgica, ao passo que investia nos estudos, sendo aluno livre de Medicina Tropical e Sociologia, pelas Universidades de Lyon, na França e Louvain, na Bélgica.

Ordenou-se em 19 de março de 1964, transformando-se em um dos primeiros sacerdotes da Bélgica. Depois de ordenado, passou um ano estudando a língua portuguesa na Universidade de Louviana. Foi justamente nesta época que Gerard passou a conhecer um pouco da realidade latino-americana. Parecia que o caminho do atual prefeito de Japaratuba já se direcionava para o Brasil.

Foi quando o bispo da cidade de Propriá, Sergipe, na época, Dom José Brandão de Castro, precisou viajar à Bélgica para resolver um problema enfrentado por ti, em sua diocese: havia apenas dois padres para conduzir os fiéis. Uma realidade contrastada com a do país de Gerard, em que 1000 padres se dividiam por nove dioceses. A diferença considerada absurda pelo então recém-ordenado, o fez se entusiasmar com a perspectiva de desenvolver seu trabalho no Brasil.

Foi designado para o menor estado do país para trabalhar na paróquia da cidade de Japaratuba. Chegou no período da revolução militar, para desenvolver um novo trabalho na Igreja, voltado para o social. Encontrou certa resistência por parte dos habitantes nos primeiros meses, mas com seu jeito simples, conquistou a população. Em pouco tempo, Gerard já conhecia o modo de viver, pensar e até mesmo, rezar de seus paroquianos.  Mesmo residindo em Japaratuba desde 1965, Padre Geraldo teve ainda a oportunidade de trabalhar nos municípios de Canhoba e Ilha das Flores.

Empenhado em suas funções, ajudou a população de Japaratuba em grandes conquistas, sobretudo em posses de terras. Segundo o próprio padre Geraldo, com o apoio do Estado, conseguiu angariar oito mil tarefas de terra. Dentre as benfeitorias que realizou, Gerard também colaborou para a fundação da Cooperativa Agrícola Mista de Colonização Jardim Ltda, foi presidente da Associação de Caridade de Japaratuba, e esteve à frente das bandas de músicas Euterpe Japaratubense e Santa Terezinha.

Por ser uma pessoa bem quista pelos moradores de Japaratuba, o ingresso na política não demorou acontecer.  Atendendo a um pedido dos japaratubenses, resolveu iniciar sua carreira. Começou entrando em contato com todos os partidos, inclusive os de esquerda.  Optou pelo PMDB “pois naquela época era o partido que acolhia, praticamente, toda a esquerda, todos que não tinham espaço, pois só existiam no Brasil, dois partidos. Quando o PT foi formado, nosso relacionamento foi o mais válido possível”, lembra Gerard.

Uma vez inserido na política, continuou com a mesma proposta revolucionária, aplicada em Japaratuba no período em que fez parte da pastoral de Dom José Brandão de Castro.  Em 1982 resolveu, finalmente, se lançar candidato a prefeito, mas foi cassado pelas “forças conservadoras”, um mês antes da eleição. Neste mesmo ano, após dois anos de luta, conseguiu se naturalizar brasileiro, após uma análise minuciosa das autoridades federais.

Apesar de não ter conseguido se eleger na primeira tentativa, Gerard não desistiu. Em 1988 voltou a se candidatar e venceu a eleição para prefeito de Japaratuba, com a coligação ‘Força Popular’. Nascia naquele momento, uma forma de governo diferente, voltava para a participação popular e para a democracia. Era a maneira “Gerard de governar”.

Nove anos após seu primeiro mandato, padre Geraldo voltou a vencer uma disputa eleitoral no município que lhe acolheu. Em janeiro de 2001, iniciava-se a gestão “Dignidade e Esperança”. No ano de 2004 disputou a reeleição logrando êxito e vencendo nas urnas. Passou a dar continuidade ao seu trabalho na administração “Com Paz, Dignidade e Esperança”.

Por Aldaci de Souza com informações da Ascom Japaratuba

* A matéria foi atualizada às 14:29 para acréscimo do histórico do Padre Gerard Olivier enviado pela Prefeitura de Japaratuba.

Agrava-se o estado de Saúde do padre Gerard Olivier
Japaratuba: Padre Geraldo se afasta da prefeitura um mês
Padre Geraldo retorna à prefeitura de Japaratuba
Advogados de Lara vão pedir impugnação do padre Gerard
Compartilhar: 
Comentários (3)
Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam o pensamento deste portal.
José Bezerra Neto
03/06/2013 às 13:06
Os Mouras sempre perseguiram o Padre Belga que foi um exemplo de caráter e honestidade, que sabe agora os Mouras não vão se aliar a um Pastor Alemão!!!
dudu
03/06/2013 às 14:38
Obrigado a Deus pelos anos em q deixou o Padre Geraldo entre nós. Os mouras estão aliviados. Rogo a Deus que me dê paciência pra ver uns vermes políticos soltos por aí rindo do povo... os 06 milhões q Sukita pegou, os infinitos processos de Armando Batalha q voltou pra acabar de afundar S. Cristóvão e André moura que puxou a colher de comida da boca de famintas crianças que dependem da merenda escolar (condenado e solto?) como? ah, é Brasil, havia esquecido - país onde roubar é normal! Roubem!
Lulu
04/06/2013 às 09:53
Vá com DEUS Padre Geraldo! pois foi Ele quem o trouxe para salvar nossa querida cidade das mãos dos poderosos. O povo japaratubense jamais o esquecerá! você foi uma figura humana inconfundível, um homem íntegro, um político na verdadeira acepção da palavra e temos absoluta certeza que não só Japaratuba, mas, Sergipe perdeu um dos poucos políticos honestos que ainda existem. Os japaratubenses choram a sua morte pois você foi o caminho da libertação para todos nós.
Atendimento ao Cliente 24 horas: (79) 2106-8000
Política de privacidade
Expediente
Anuncie no Portal
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José
Aracaju-SE, CEP 49015-030
Todos os direitos reservados