Webmail
Blogs


Compartilhar: 
07/08/2008 - 11:34
Vereadores de São Cristóvão se defendem de acusações
Os envolvidos na eleição indireta de São Cristóvão alegam que existia conspiração e estão definindo nomes dos secretários

Jadiel Campos:"quero devolver a estabilidade ao municipío" (fotos: Letícia Telles/ Portal Infonet)
Os vereadores Jadiel Campos, Luís de Souza e Israel Sarmento , conversaram com o Portal Infonet sobre a eleição indireta realizada na última terça-feira, 5, para os cargos de prefeito e vice-prefeito da cidade de São Cristóvão.  Acusados de golpe pela oposição, eles afirmam que ao contrário do que está sendo divulgado pelos oponentes políticos, a eleição foi toda feita dentro da legalidade, e exibem as atas assinadas como prova.

“Fizemos tudo seguindo os princípios democráticos e dentro das leis. Não adianta dizer que foi um golpe, pois pedimos ao presidente da Câmara Municipal, Jorge Lisboa, através de um requerimento, que realizasse a eleição, mas ele não nos deu ouvidos. Dentro do regimento interno diz que os vereadores podem se auto-convocar, e foi exatamente o que fizemos”, dizem.

Questionados sobre o porquê da antecipação do pleito, que pela lei deveria acontecer em até 30 dias após a vacância do cargo, os vereadores afirmam que foi necessário, pois tinham sentido que havia algum tipo de conspiração. Outro motivo alegado foi a insatisfação com a administração de Alexsander Rocha (PDT) que ocupava o cargo de prefeito.

“Sentimos que Jorge Lisboa queria protelar a data por motivos estranhos. O cargo estava vago e a cidade enfrentava um alto grau de instabilidade, com a população nos cobrando uma posição”, justificaram coletivamente.

"Eleição foi feita dentro da legalidade", diz Israel Sarmento
Quanto às acusações feitas pelo deputado estadual Wanderlê Correia de que a eleição teria sido um golpe, já que os envolvidos seriam aliados do ex-prefeito Armando Batalha, os vereadores alegam que a afirmação não tem fundamento, já que todos seriam da mesma coligação de Alexsander Rocha  e o apóiam para prefeito no pleito do dia cinco de outubro. Eles disseram ainda que Alexsander Rocha já tinha sido avisado de que não teria ajuda caso fosse candidato no pleito indireto.

Os vereadores dizem que agora vão esperar a posição da Justiça para voltar a fazer outras considerações. No entanto, acreditam na legitimação da eleição e já escolheram os secretários, ao mesmo tempo em que fazem planos para a cidade. “O que quero é administrar São Cristóvão nesses últimos meses de forma tranqüila, pois o povo não merece  a instabilidade por que passa a cidade”, declarou Jadiel Campos.

Por Letícia Telles

Compartilhar: 
Comentários (0)
Os comentários são de inteira responsabilidade de seus autores e não representam o pensamento deste portal.
Atendimento ao Cliente 24 horas: (79) 2106-8000
Política de privacidade
Expediente
Anuncie no Portal
Rua Monsenhor Silveira 276, Bairro São José
Aracaju-SE, CEP 49015-030
Todos os direitos reservados