Documentos mostram reprovação de oficiais da PM
21/12/2011















Documentação mostra a reprovação de policiais no concurso de 1987 (Fotos: Portal Infonet)


A equipe do Portal Infonet teve acesso a uma documentação que mostra que oficiais da Polícia Militar de Sergipe que prestaram o concurso em 1987 foram reprovados nos testes de aptidão física e nas provas escritas. A informação é que a média do concurso era 5 e todos os aprovados ficaram abaixo da média estabelecida. Na lista aparece o atual comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Nailson Santos, que ficou na nona colocação com média final 3,49. O atual comandante geral da Polícia Militar, coronel Aelson Resende Rocha, também aparece na mesma lista na 16ª colocação com 3,16.



O comandante do Corpo de Bombeiros diz que há dois anos recebeu no seu gabinete a mesma documentação de forma anônima e que tem conhecimento de que foi reprovado na aptidão física e que ficou na nona colocação.



“O que aconteceu foi que esse concurso de 1986 não existia uma série de regulamentações que existe hoje. O concurso foi aplicado pela PM da Bahia em dezembro de 86. Tinha 18 anos e o que sabia era que existiam 10 vagas e eu passei na nona vaga. O concurso tinha média 5, mas ninguém alcançou a média. Com relação ao teste físico eram exigidas sete barras e eu fiz apenas quatro barras, mas nessa época não existia portaria definida”, relata o comandante.















O comandante é citado como reprovado na aptidão física


“Nessa época ninguém queria ser polícia, mas hoje nós temos regulamentação. Lembro que logo após a aprovação eu e outros fomos enviados a Brasília. Na época lembro que já formado o coronel Batista, que era comandante, disse que aptidão física se adquire com o trabalho. Agora tem que perguntar ao coronel Batista sobre o assunto”, diz o coronel Nailson Santos que ressalta que não é parente de militar e que não pediu a ninguém para entrar na corporação.



“Não sou filho de político e nem de militar, minha mãe, que já faleceu, trabalhava em uma banca de feira no Mercado Central e meu pai é vigilante aposentado da Secretaria da Educação. Hoje a realidade é outra. Os concursos pedem o mínimo no TAF (Teste de Aptidão Física) e não podem reprovar. Esse tipo de coisa não macula a minha imagem de serviços há 25 anos, mas nós hoje vivemos um mundo de denuncismos [sic], e coisas anônimas aparecem, mas é preciso mostrar a cara”, salienta.



PM



Na tarde desta quinta-feira,22, a assessoria de comunicação da Polícia Militar encaminhou nota sobre o fato publicado. Confira a nota na íntegra. "O Comando da Polícia Militar do Estado de Sergipe através de sua Assessoria de Comunicação vêm por meio desta nota manifestar-se acerca das informações publicadas no dia 21/12/2011, no site www.infonet.com.br, que divulga documentos supostamente oficiais da Polícia Militar do Estado da Bahia, entre estes o primeiro a merecer atenção é o suposto resultado da seleção de candidatos ao Curso de Formação de Oficiais da PMSE, datado de 20 de janeiro de 1987, o qual apresenta uma ordem de classificação e atribui uma média aos candidatos, porém, diferentemente do que consta na legenda da imagem, o suposto documento não atribui a condição de reprovado a nenhum dos candidatos, o site informa que “A informação é que a média do concurso era 5 e todos os aprovados ficaram abaixo da média estabelecida”, porém não comprova esta informação com nenhum outro documento, seja o edital do referido concurso ou outra referência idônea. Neste aspecto a PMSE esclarece que em seu corpo técnico existem profissionais graduados e especializados em Segurança Pública com qualificação profissional adequada para dar desdobramentos às mais diversas atribuições da carreira e atividades da Instituição, os Oficiais são formados em Academias de Polícia Militar dos diversos Estados da Federação que celebram parcerias com a Polícia Militar do Estado de Sergipe para formação destes profissionais, em Cursos com duração mínima de 03 anos, credenciados e autorizados pelos Órgãos Estaduais de Ensino, com a participação de profissionais de diversas Universidades Federais e Estaduais. No que se refere ao segundo suposto documento oficial publicado a PMSE não possui em seus quadros nenhum oficial que tenha sido considerado inapto naquele teste de aptidão, portanto, não cabe nenhum esclarecimento a este respeito", esclarece na nota.



* A matéria foi alterada às 13h40 do dia 22/12/2011 para acréscimo da nota da PM



Por Kátia Susanna