Criação de Jardim Botânico é tema de debate
20/09/2013













Seminário debateu a viabilidade de criação de Jardim Botânico (Foto: Valéria Lima)


Na manhã desta sexta-feira, 20, o secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Genival Nunes, participou do Seminário “Jardim Botânico de Sergipe: viabilidade e estratégias para a sua criação”. O evento aconteceu no auditório do Centro de Ciências Exatas e Tecnologia (CCET) da Universidade Federal de Sergipe e contou com a participação do presidente da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, João Neves Toledo.



O seminário serviu para discutir a possibilidade da criação de um Jardim Botânico em Sergipe. “É importante deixar claro para todos que o Governo de Sergipe não irá criar um Jardim Botânico. Ele está pretendendo, estudando por sua vez, alguma possibilidade”, disse o secretário Genival Nunes, enfatizando ainda que já estão sendo analisadas algumas áreas para essa possível criação.



Para Genival, os Jardins Botânicos tem um papel fundamental na conservação da biodiversidade com repartição de benefícios para a sociedade, contribuindo para o desenvolvimento de pesquisas, educação ambiental, ecoturismo e desenvolvimento regional.



Segundo o presidente da Rede Brasileira de Jardins Botânicos, João Neves Toledo, o Brasil é um país de mega diversidade possuindo assim um total de 22 jardins botânicos reconhecidos. “Quando se cria um Jardim Botânico, estamos avançando na conservação da flora. A meta da Rede Brasileira é que cada estado possa ter o seu próprio Jardim Botânico”, afirmou.



Ainda segundo ele, para a possível criação de um Jardins Botânico,a primeira coisa a se pensar é que esse espaço será um lugar oficial e público. “Além disso, deve-se criar uma instituição que pode estar atrelada a secretaria ou ser um órgão do governo que seja independente. A partir dessa instituição é possível começar a desenvolver as atividades de um Jardim Botânico, que se resume na conservação, na educação ambiental e também na pesquisa para a preservação dessa flora”, comentou João Neves.



O presidente destacou ainda que um Jardim Botânico é como se fosse um museu de plantas, tendo assim uma atividade complementar para a conservação da flora. Enfatizou que ele não é uma unidade de conservação, mas, promove a conservação da flora nas coleções de plantas vivas. “A importância de criar um Jardim aqui no estado é primordial, contudo, ele também estará atrelado a uma agenda internacional para a conservação das plantas”, ponderou João.



Além da presença do secretário Genival Nunes, o seminário contou ainda com a participação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, Instituto Histórico de Sergipe, Instituto Banese, professores e pesquisadores da UFS, Sociedade Semear, Mopec, lideranças comunitárias, representantes governamentais e não governamentais e acadêmicos.



Fonte: Semarh