A demagogia de Gilmar Carvalho
11/01/2017



Ao tomar posse, novamente, como deputado estadual, o radialista Gilmar Carvalho quebrou o protocolo entregando um ofício de sua autoria ao presidente da Assembleia, deputado Luciano Bispo, no qual pede que o seu salário só seja pago depois que todos os funcionários públicos estaduais tiverem recebido os seus salários. Mistura de populismo com demagogia, o ofício é a cara do próprio Gilmar, que agora faz do programa policial “Cidade Alerta Sergipe”, na TV Atalaia, todos os dias a partir das 18h., a sua trincheira. A sua iniciativa obteve elogios da própria emissora onde trabalha. Como o manda chuva da emissora é o empresário Walter Franco é de se concluir que este não analisou corretamente o pedido de Gilmar.



É um pedido demagógico porque, se posto em prática, dividirá o Legislativo em dois: serão duas folhas ao mês para que se possa pagar a Gilmar Carvalho do jeito que ele quer. Uma folha para todo mundo, a outra folha só para Gilmar. Deve se levar em consideração um outro fato: a Assembleia integra o Poder Legislativo que não tem nada a ver com o Poder Executivo e sua folha de pagamento. Como o Legislativo será informado que a folha de novembro, por exemplo, já foi inteiramente paga e então se prepare a folha do radialista? Nunca antes na história do Legislativo tal fato aconteceu...



A demagogia é tanta que Gilmar Carvalho certamente fará desse pedido um cavalo de batalha durante as sessões ordinárias que virão. Seria melhor que o radialista – que é medíocre na área e, principalmente, agora com carga humoristica – se preparasse para  ser um bom deputado, coisa que não o foi nas duas vezes que ocupou uma cadeira no Legislativo, sempre como suplente. Vai daí que só resta ao Presidente da Assembleia dar o destino certo ao ofício, o arquivo morto do Poder Legislativo.



Gilmar Carvalho passou uns quinze dias afastado dos seus programas no rádio e na televisão. Tomou férias, no que tem todo o direito. Só não disse que foi ao Exterior, no caso a Europa. Por que ele não propôs só viajar a Europa no dia em que o Estado e o município tiverem pago a todos os seus servidores?



Afinal, o bloqueio acabou...

Afinal, uma medida sensata. O Presidente do Tribunal de Contas, Dr. Clóvis Barbosa de Melo, decidiu desbloquear, na terça-feira, as contas bancárias da Prefeitura de Aracaju, liberando Edvaldo Nogueira a ser de fato e de direito o prefeito de Aracaju. O Dr. Clóvis é, como se sabe, boa gente. Mas, quando é seduzido pela demagogia, igual a um Gilmar Carvalho pé de chinelo, toma medidas insanas. Deixem Edvaldo governar – afinal ele foi eleito para isso mesmo. Não tem nada de bloquear contas da Prefeitura. Só se ele não estiver cumprindo com o que determina a lei...



A Justiça pára hoje

Os servidores do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe paralisam suas atividades, nesta quarta-feira, 11/01. A concentração será no Forum Gumersindo Bessa, no Centro Administrativo de Aracaju, a partir das 7 horas da manhã. O Sindicato da categoria denuncia que parte considerável do orçamento está sendo gasto com altos salários para magistrados que chegam a mais de cem mil reais por mês e com cargos em comissão, que recebem seis vezes que um servidor concursado.



Esmeralda da Vida, por Tanit Bezerra.

Tanit Bezerra é profissional requisitada como fotografa de solenidades. Agora ela expõe seus trabalhos realizados numa viagem ao Rio São Francisco, carinhosamente batizado de “Velho Chico”, com a exposição “Esmeralda da Vida”. A exposição dá a largada da mais nova galeria de arte da cidade, o “M Depósito de Arte”, que fica na rua José Ramos da Silva, 316, sala 094, no bairro 13 de Julho. Participante de vários desfiles de moda em Aracaju, Tanit Bezerra – que vem a ser irmã da colunista social Thais Bezerra – é uma multiprofissional de vários setores. Formou-se em Odontologia pela Universidade Federal de Sergipe em 1983, quando tinha apenas 21 anos, antes de se tornar modelo fotográfico. Em 1985, convidada pela atriz Tonia Carrero fez parte do elenco do programa “Viva o Gordo”, que na época era dirigido por Cecil Thiré, filho da musa Tonia. No Rio estudou teatro na Casa de Arte de Laranjeiras, mas trocou o Rio por Aracaju devido a um problema de saúde de sua mãe. Aqui estudou jornalismo na Universidade Tiradentes e estagiou na TV Aperipê. Na Emsetur, trabalhou na promoção e divulgação do turismo de Sergipe. Foi diretora de Turismo na Funcaju. Exerceu tudo isso sem abandonar o amor que tinha pela fotografia. Como repórter fotográfica atuou na revista Aracaju Magazine. Ganhou sua primeira câmara em 1987 e desde então não largou mais o ofício.  Participou de várias exposições coletivas e individuais. Em 2012, por exemplo, no Café Coisas de Maria João em Florianópolis, a sua exposição “Luz” foi um sucesso de crítica. “Esmeralda da Vida” tem a curadoria de Marcos Marcelo. A exposição abre dia 12 de janeiro, às 19h e prossegue até o dia 24 de fevereiro.



Medicamentos genéricos ganham preferência

A possibilidade de economia sem riscos, proporcionado pelos medicamentos genéricos está fazendo com que grande parcela da população já considere essa opção na hora da compra. Os dados são resultados da pesquisa Análise do Perfil de Compra dos Consumidores da Medicamentos, realizada pelo Instituto Febrafar da Pesquisa e Educação Continuada. Segundo a pesquisa, o número de brasileiros que consideram essa opção na hora da compra é bastante expressivo, sendo que 37% dos consumidores apontaram que adquiriram medicamentos dessa modalidade, outros 32% compraram os de marcas e 31% compraram uma mescla dos dois tipos. “Os genéricos já venceram uma desconfiança inicial e natural que enfrentaram no mercado e hoje já fazem parte das opções de escolhas dos consumidores, eles possuem um grande potencial competitivo por causa da economia que proporcional, sendo que os preços são fundamentais na escolha, analisa Edson Tamascia, presidente da Febrafar, que encomendou a pesquisa. Ele se refere ao fato de que a pesquisa também aponta a prioridade que o consumidor está dando ao preço em relação à marca da hora de adquirir medicamentos. Segundo a pesquisa, 45% dos consumidores, acabaram comprando produtos diferentes do objetivo inicial e a quase totalidades desses clientes buscavam economia.