Cajon del Maipo: Aventura de inverno a verão
11/10/2017















Embalse El Yeso em temporada de inverno


Cajón del Maipo localiza-se na área metropolitana de Santiago, a 48km da capital federal, aos pés da Cordilheira dos Andes, na comuna chilena de São José del Maipo, Província de Cordillera, batizado assim por ser a região do entorno do rio Maipo. Composto por um complexo de vales, rios, montanhas, picos e lagoas, o passeio inicia ainda na estrada sinuosa e acidentada que segue de São Jose do Maipo até os principais pontos turísticos.



O tour dura o dia todo partindo de Santiago e é apropriado para quem gosta de ecoturismo, adrenalina, aventurar-se em penhascos, cordilheiras e uma pitada de silêncio na contemplação da bela paisagem.



O Tô no Mundo percorreu alguns dos seus pontos turísticos, finalzinho do inverno, quando ainda havia muita neve na região e as paisagens, ora parecendo ilustrações de um livro de astronomia, ora desérticas, ora totalmente emoldurada por vales branquinhos de neve, simplesmente consagraram-se como um do pontos que fascinam em seu percurso, tanto quanto no destino final.















Grande reservatório de água que abastece Santiago


Compreende Cajon del Maipo as piscinas naturais de águas termais (Baños Colina e Baños Morales), o parque ecológico Monumento Natural El Morado, o Parque Río Olivares, o Embalse El Yeso, além das Termas del Plomo, algumas cidadezinhas e povoados.



Se realizada a visita no verão ou se realizado no inverno, o roteiro diversifica-se. Por ser uma região de geografia bastante acidentada e está a mais de 2.500 mil metros acima do nível do mar, Cajon del Maipo é sinônimo de aventura no verão, com a prática de esportes radicais em determinadas localidades  (bungee jumping, rafting, canyoning, trekking, escalada, montanhismo, cavalgada, mountain bike e pesca com mosca), banhos termais em meio a penhascos, escaladas e visitas a sítios paleontológicos.



No inverno, o roteiro muda de paisagem e dar passagem para a contemplação da Cordilheira coberta de neve, além de caminhadas pelos parques e boa gastronomia nos restaurantes locais, com ingredientes que só surgem nesta temporada do ano.













San José del Maipo


San José del Maipo



A primeira parada do passeio geralmente é em San José del Maipo, uma cidadezinha de 13.377 habitantes, com temperatura média anual de 14 graus e quem tem na mineração e no turismo suas principais rendas. Não deixe de verificar na praça principal do povoado prédios imponentes do século XIX, quando passava por ali uma linha ferroviária importante para o desenvolvimento do Chile.













San José del Maipo


Depois de degustar das famosas empanadas na localidade, a estrada sinuosa e cheia de belas paisagens é concorrente dela mesma por todos os lados. Passa-se por pequenos glaciais, rios e um paisagem bem distinta da que se ver na modernidade da cidade grande.



Embalse el Yeso



Perto de Los Chacaynes fica segunda parada para verificar um grande penhasco com uma série de picos e serras que valem um clique. O guia mostra algumas geleiras e glaciares nos picos da Cordilheira e ao longo do caminho outros pontos interessantes merecem outros cliques, até chegar barreira de represamento do reservatório Embalse el Yeso, inaugurado em 1967 e conhecido por ser o principal responsável de abastecimento de água potável da cidade de Santiago e construído estrategicamente para represar parte das aguas das geleiras.













Embase El Yeso


A lagoa azulada acaba por contrastar com o terreno seco que a circunda, coberto de neve. Em alguns lugares fica difícil a passagem tamanha a quantidade de gelo. A composição da paisagem é realmente de contagiar os brasileiros que pouco veem esse tipo de paisagem.

A dica é contemplar, mesmo que a estrutura seja mínima. Nem assentos para acomodar os turistas, nem banheiros e restaurantes. A falta de estrutura é compensada pela beleza do local.













Piquenique à beira do lago


A permanecia é de pouco mais de duas horas quando a empresa responsável pelo guiamento convida para um piquenique. Isso mesmo. Há degustação de vinho chileno, queijo e presuntos, acompanhado de torradas e patês ali mesmo com a vista de fazer esquecer até mesmo a vontade de comer. 



Base militar



Após o lanche, a terceira parada lhe reserva conhecer uma antiga base militar entre o Chile e a Argentina, na Cordilheira dos Andes. Desativada desde o fim da ditadura militar chilena. As casas construídas em pedra e formato circular do teto é proposital ao desgelo em época nevasca. Hoje a base foi desativada e é ponto turístico.



O retorno continua a detalhar paisagens desérticas e glaciais. Um jantar é convidativo a desancar com um vinho chileno, degustando os pescados generosos do Pacífico em um dos restaurantes de Santiago.













Antiga base militar 


Gastroterapia



Prove da gastronomia local distribuída em pequenos locais ao longo da rodovia, principalmente, com a degustação das empanadas assadas no forno de barro. As empanadas têm finas camadas de uma massa de farinha de trigo com recheio de carne refogada no azeite. São os temperos que dão um toque chileno ao empanado. Geralmente mistura o sabor adocicado, meio agridoce, com o salgado da páprica, da pimenta (chipotle, cayenne, chilli, etc) e da azeitona preta. Em algumas delas também há verduras, a exemplo do repolho. Também são encontrados ao longo da estrada lojinhas que vendem pães caseiros e frutos secos extraídos de hortas.













Paisagem é atração


Dicas de viagem






Fotos: Sílvio Oliveira



Instagran: Silviooliveiratonomundo













Empanadas em pequenos comércios na estrada












Empanadas














Local de parada para aluguel de vestimenta adequada












Belas paisagens


Facebook: Tô no Mundo