Vítimas assédio sexual destaque da Time
07/12/2017



“O jornalismo é o exercício diário da inteligência e a prática cotidiana do caráter.” Cláudio Abramo.





A revista Time consagrou na quarta-feira, 06, como personalidade do ano as mulheres que romperam o silêncio em relação ao assédio sexual, as













A capa da revista Timer homenageando as mulheres conhecidas e anônimas que denunciaram assédios. Enquanto isso em Sergipe Del Rey o "cala boca" gerou a "ex-vítima." 


 mesmas que em seguida provocaram o desencadeamento do conhecido movimento #MeToo, que gerou uma mudança social nos Estados Unidos e no restante do mundo depois que vieram a público os abusos sexuais praticados pelo magnata de Hollywood Harvey Weinstein, o produtor acusado de assédio e abuso sexual por dezenas de mulheres da indústria cinematográfica norte-americana.



A Time destaca que as mulheres que se levantaram contra o assédio sexual “abrangem todas as raças, todas as classes de renda, todas as profissões e praticamente todos os cantos do mundo”. “Sua ira coletiva gerou resultados imediatos e impactantes”, afirma a revista.



Sergipe Del Rey  Enquanto isso em Sergipe Del Rey todo mundo sabe de algumas vitimas de assédio, inclusive divulgadas por parte da imprensa que não se curva aos ditames da empáfia de uma autoridade.



Algumas das vítimas relataram para amigos e até para autoridades todos os detalhes dos assédios. Parte da imprensa se calou e, infelizmente, até algumas vitimas preferiram o silêncio ensurdecedor não pensando no bem que faria para dezenas de mulheres.



Caro leitor, uma delas, silenciou e ganhou alguns benefícios, inclusive através de uma conversa ao “pé da orelha” com o chefe maior do assediador, , regada a água de coco.  A expectativa de desmascarar de vez o assediador com o silêncio da "ex-vítima," gerou uma indignação coletiva.



Quem prefere o silêncio ao invés de romper e denunciar um crime nocivo de abuso se iguala ao réu porque deixa a porta aberta para outras dezenas de casos.



Certamente prestará contas a Justiça divina pela negligência na terra.





Feriado Devido ao feriado de Nossa Senhora da Conceição nesta sexta-feira, 08, o blog só retorna a atualização na próxima segunda-feira, 11.



Justa Homenagem: Irmã Francisca e Wellington Mangueira Na próxima terça-feira, 12, às 11h, no plenário da Assembleia,será realizada sessão especial de outorga da Medalha de Direitos Humanos Dom José Vicente Távora a Mathilda Antoinette Christine Hendricx (Irmã Francisca) e Wellington Dantas Mangueira Marques (advogado e professor). Uma justa homenagem a duas pessoas com história de luta pelos direitos humanos e a cidadania. 



Hospital Regional de Propriá mantém atendimento ágil e humanizado  Deu no Proprianews, por Adeval Marques: O que era motivo de criticas até pouco tempo por parte de populares - oito meses antes -, vem recebendo elogios e reconhecimento por parte dos atendidos. Em depoimentos usuários afirmam que são bem atendidos no Hospital Regional de Propriá.



Tempo de espera Em quase seis horas que o site ficou no Hospital Regional de Propriá, o que se constatou é que ninguém fica mais que o tempo de 10 a 20 minutos sem ser atendido e levado às salas do hospital. Toda matéria:http://proprianews.com.br/portal/index.php/2017/12/06/hospital-regional-de-propria-mantem-atendimento-agil-e-humanizado/



Prefeito paranoico com gravações E tem um prefeito que pelo jeito vai ter que encontrar uma maneira de receber as pessoas em seu gabinete. Hoje manda deixar o celular na antessala. O problema que hoje em dia tem óculos que grava, botão de paletó que grava, caneta que grava e tudo mais. Pelo jeito a pessoa vai ter que entrar nua e se submeter à revista íntima.  



Enquanto isso em Aracaju a “competência” dos que fazem a SMTT: param o carro no meio da pista para deixar o “trânsito” fluir. Ontem, 06, às 19h30, no chamado mergulhão....













Posto Shell na Avenida Hermes Fontes Pelo Facebook: ”...Agora a polícia quer que eu vá verificar a placa do veículo para aceitar uma denúncia 













Paredão esta madrugada no posto Shell da Avenida Hermes Fontes. Moradores chamam a polícia que não vai ao local.


sobre som alto perturbando a ordem pública, CTB art. 228. A polícia quer que eu vá me expor indo verificar a placa de veículos  com pessoas com som alto e bebendo no meio da madrugada!!! Aliás, por que a polícia não faz uma blitz da lei seca em frente ao Posto Shell Hermes Fontes, um estabelecimento que permite som alto de carro em suas dependências e vende bebidas alcoólicas?” Som de carro paredão ! Das 3:30 às 5:00 e não chega uma autoridade.



Implicações da Reforma Trabalhista para a Construção Civil Será realizado na próxima segunda-feira, 11, no escritório  Seixas, Levita, Soares, Kraft e Borba Advogados Associados (Coroa do Meio em frente ao Shopping Riomar), uma exposição sobre “Implicações da Reforma Trabalhista para a Construção Civil” com o procurador e professor universitário e de pós-Graduação, Arthur Borba. Será das 15h às 18h e o público alvo são gestores, profissionais de RH, contadores e os associados da Associação Sergipana de Obras Públicas e Privadas – ASEOPP. As vagas são limitadas e as inscrições são gratuitas através do link: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdDo83Qd9WvXqkRIipcC7OHwTiQ9IsOPwzwPu4ArL1Qg4H6mg/viewform





Leandro Maciel: mais um grande trabalho de Ibaré Dantas Foi lançado ontem, 06, no Museu da Gente Sergipana o livro “Leando Maynard Maciel 













O titular deste espaço fez questão de prestigiar o lançamento de mais uma obra minuciosa de Ibaré Dantas.


– Na política do século XX”, mais uma magnifica obra do escritor e historiador Ibaré Dantas.  Como bem escreveu Ibaré, Leandro foi um líder que atuou por cerca de quatro décadas na política de Sergipe, com incursões na esfera nacional, despertando sentimentos contraditórios.



O livro O minucioso livro de Ibaré tem 14 capítulos onde ele discorre desde a origem familiar de Leandro Maciel, passando pelo período de formação e todas as ações nas áreas políticas e administrativas. Um relato enriquecedor de um dos maiores políticos de Sergipe que servirá de referência para os estudantes e os sergipanos que gostam da história de seu Estado.



Falta prioridade verdadeira para a Segurança Pública, afirma Alessandro Vieira O delegado Alessandro Vieira em entrevista em uma emissora de rádio da capital sergipana (CBN, com Thiago Helcias e Amalia Roeder) falou das investigações policiais ocorridas nesse ano, das problemáticas da Segurança Pública e do cenário político em Sergipe.Sobre sua passagem na Coordenadoria Geral da Policia Civil, Alessandro Vieira afirmou que mostrou que é possível usar os meios policiais para investigar tanto empreiteiros, empresários e políticos como também pessoas que praticam crimes de baixo calibre.



O trabalho policial incomoda muito quem pratica crime  “Quando estava na cúpula da SSP junto com o Delegado João Batista, então Secretário, tínhamos uma linha de trabalho definida e o combate a corrupção era uma das principais prioridades”, disse. Questionado porque a cúpula da SSP foi exonerada dado que o trabalho estava sendo tão positivo com inúmeras investigações, o delegado Alessandro Vieira disse que quem pode dar essa explicação sobre a sua exoneração é o Governador Jackson Barreto e até onde se sabe ele nunca explicou.



Prioridade Alessandro Vieira diz que não dá para fazer segurança pública se o combate a corrupção não for prioridade. Exemplo disso foi o Rio de Janeiro que fez um trabalho excelente no combate ao crime comum, mas por outro lado o crime de colarinho branco não foi prioridade e agora o Rio está quebrado devido a organização criminosa instalada no Governo do Rio. E Alessandro Vieira disse que não deseja ver isso aqui em Sergipe.



Modelo de gestão Questionado sobre o porquê de agora caminhar na seara política, o delegado Alessandro Vieira enfatizou que “minha entrada na política é para cumprir uma missão na qual possamos mudar o modelo de gestão que atualmente é falido e não representa população”. Falou que a REDE já obteve a primeira vitória que é apresentação de uma pré-candidatura alternativa de Dr. Emerson que rompa a polarização da mesmice. Por fim, Alessandro Vieira afirmou que é pré-candidato a Deputado Estadual nas próximas eleições.



Capela: Dia da Bíblia neste sábado, 09 Através de projeto de lei apresentado pelo vereador Isaac Vinícius, aprovado e sancionado, será realizado 













É neste sábado, 09, o Dia da Bíblia em Capela. 


neste sábado, 09, no município de Capela o Dia da Bíblia, a partir das 17h na Praça do Amparo. O evento tem a participação de todas as igrejas evangélicas de Capela e contará com apresentações de teatro e coreografias e shows de Irmao Lázaro e da banda  Levitas de Cristo – LDC.



AJU: lixo e buracos continuam sendo as maiores reclamações A defensora pública e vereadora, Emília Corrêa (PEN) denuncia que o lixo e buracos continuam sendo as maiores reclamações do povo de Aracaju. Segundo a parlamentar, o descaso com a limpeza pública e a grande quantidade de buracos, continuam incomodando os moradores da capital.



Convívio social “A falta de regularidade  do serviço de limpeza e varrição das ruas de Aracaju tem gerado inúmeras reclamações dos moradores da cidade. São praças e espaços esportivos repletos de lixo e entulhos, prejudicando o convívio social”, pontuou.



Eficiência “É necessário que os serviços de limpeza e tapa-buracos sejam verdadeiramente eficientes e duradouros. Estamos falando de dinheiro público, que deve ser usado com responsabilidade, como forma de respeitar o cidadão que honra o pagamento dos seus impostos”, afirmou.



“Cadê os R$3 milhões?”, questiona vereador de Aracaju O vereador de Aracaju Lucas Aribé (PSB) aproveitou a audiência pública sobre a Lei Orçamentária Anual, na quarta-feira, 6, para cobrar ao secretário municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão, Augusto Fábio Oliveira dos Santos, informações sobre o paradeiro dos R$3 milhões que deveriam ter sido utilizados na construção ou recuperação de ruas, pontes, viadutos, avenidas, praças e calçadas, de acordo com a Emenda Nº21/2016.



A emenda De autoria de Aribé, a emenda foi aprovada em 14 de dezembro do ano passado. De acordo com o documento, o Poder Executivo deve remanejar R$2 milhões da Secretaria Municipal de Comunicação e R$1 milhão da Secretaria de Articulação Política. Lucas apresentou o protocolo do requerimento de informações, recebido pelo Poder Executivo no último dia 13 de novembro.



Sem resposta “Quero saber de que forma os recursos foram utilizados, mas até agora não obtive essa resposta e preciso dela para esclarecer à população de que forma a nossa emenda foi ou não atendida”, diz Aribé.Ao final da audiência, o parlamentar entregou cópia do requerimento protocolado ao secretário Augusto Fábio, que se prontificou a enviar as devidas informações.



Justiça para que estradas sejam recuperadas Diante do pedido de alteração na redação do Projeto de Financiamento para recuperação das rodovias estaduais, a deputada Maria Mendonça (PP), manteve o voto pela aprovação da operação de crédito no valor de R$ 560 milhões, mas advertiu que o Governo poderá ser acionado judicialmente, se não cumprir o que está previsto na propositura.



Direito do contribuinte “Caso o dinheiro não seja investido na recuperação da malha viária, vou procurar a Justiça para fazer valer o direito do contribuinte sergipano”, avisou a deputada durante a votação do Projeto de Lei (PL) nº 224, que altera dispositivos da Lei 8.300/2017, na sessão da quarta-feira (6).



Pirambu: obras mudam realidade de bairro O prefeito Municipal de Pirambu, Élio Martins, inaugurou ontem,06, à noite, algumas obras estruturantes que vai melhorar de forma significativa a mobilidade urbana da cidade e a qualidade de vida da população.



Aréa de lazer O prefeito entregou a população do bairro Pirambuzinho, uma nova área de lazer, que é o novo calçadão Luciano Moura Santos, com uma extensão de cerca de 100 metros, dotado de bancos, quiosques, iluminação em LED, transformando o local que era totalmente degradado e um espaço prazeroso onde as famílias poderão à noite desfrutar de uma nova área de lazer. Na oportunidade o prefeito Elinho fez a entrega da Creche Nossa Senhora de Lourdes, um novo espaço que passará a abrigar cerca de 100 crianças, quando antes atendia cerca de 70, com um trabalho totalmente humanizado.



Posse na ALA No próximo dia 14 de dezembro, às 19h, no auditório da Sociedade Semear, acontece a Sessão Solene de posse do historiador Fernando Aguiar e da jornalista Susane Vidal como membros efetivos da Academia de Letras de Aracaju, sob a presidência do acadêmico Francisco Diemerson.



Patronos Os novos acadêmicos prestarão homenagem aos intelectuais Lígia Pina e Célio Nunes, patronos de suas cadeiras e serão saudados pela Acadêmica Jane Guimarães. A posse de Fernando Aguiar e Susane Vidal completa o quadro acadêmico da ALA, composto por 40 membros que representam diversas áreas culturais.



Dados Fernando Aguiar é historiador e professor universitário, especialistas em estudos da cultura afrobrasileira. Susane Vidal é jornalista, escritora e também professora universitária com especialização em telejornalismo.



Lar São Francisco de Assis em Simão Dias A Adecom é parceira na realização do evento chá de fraldas da terceira idade, promovido pelo Lar 















São Francisco de Assis, dentro do projeto ‘Me doe seu tempo’. O evento acontece no próximo dia 22 de dezembro, às 15h, na sede do referido órgão municipal, localizado no conjunto Centenário.A organização do evento sugere fraldas tamanho G e GG.A ação é promovida pela Secretaria de Inclusão, Assistência Social e do Trabalho, por meio do Lar São Francisco de Assis.



Pela 4ª vez a Nordeste Condominial é eleita entre as melhores do Brasil No último dia 24/11 na cidade de São Paulo/SP no Teatro Gazeta, aconteceu a premiação "TOP Condomínios 2017", evento que reuniu os principais nomes do mercado nacional de condomínios.Na oportunidade estiveram presentes advogados, síndicos profissionais, administradoras de condomínios, empresas de terceirização de mão de obra dentre outras.



Liderança absoluta A premiação reconhece às marcas e profissionais que cumprem rigorosos critérios de operação de trabalho bem como legislação fiscal, trabalhista e provedora de soluções para seu segmento.Pela 4ª vez (2013 / 2014 / 2016 / 2017) a Nordeste Condominial recebe e renova a chancela 2017/18 e novamente uma empresa sergipana destaca-se no cenário nacional entre as melhores do seu segmento. Referência e liderança absoluta em Sergipe.



Orgulho "Para nós é motivo de muito orgulho e satisfação receber este reconhecimento e tendo a certeza de que sem o nosso grupo de profissionais que compõem a nossa empresa, desde o atendimento até o corpo de acionistas, forte investimento e juntamente com o qualificado e seleto perfil de clientes os quais atendemos, este reconhecimento nacional não seria possível novamente. A Nordeste Condominial é movida a desafios diários e nosso objetivo é profissionalizar ainda mais a gestão e o mercado". Enfatizou Ricardo Barreto, Diretor Executivo.





PELO ZAP DO BLOG CLÁUDIO NUNES - (79) 99890 2018                                                                                                                                         













Carros tomam todo espaço da rótula e prejudicam os pedestres.


Rótula em frente ao TCE: motoristas extrapolam e usam até o espaço para pedestres Em frente a sede do TCE/SE no Centro Administrativo tem uma rótula que foi estruturada quando Déda era prefeito para estacionar veículos em algumas partes. Agora, como se percebe na foto, alguns motoristas extrapolam, tomaram todo o espaço, inclusive nas laterais onde o pedestre deveria passar. Mas como a SMTT é omissa...



Aproveitamento jovens que deixam o serviço militar Pelo zap: “Sou oficial R-2 da Reserva do Exército Brasileiro e sua ideia é surpreendente quanto ao aproveitamento desses jovens que saiem do serviço militar obrigatório sem perspectiva nenhuma, tornando-se presas fáceis das organizações criminosas.Mas o treinamento que recebemos nas Forças Armadas é para enfrentar inimigos de guerra, onde o principal objetivo é matar.Um curso de formação desses jovens seria suficiente para deixa-los aptos para as ruas.”





PELO E-MAIL E FACEBOOK



ARTIGO



Militarismo: câncer na SSP Por Cabo Isaías Silva*



E que a carapuça caia na cabeça de quem couber, mas fato é que o militarismo nada mais é que ferramenta de maldade para alguns seres humanos que, dotados de estrelas sobre os ombros, sentem-se humanamente superiores aos que se encontram abaixo da sua linha de hierarquia.



Hierarquia e Militarismo  são institutos absurdamente distintos, a ausência do segundo não extingue o primeiro.



O câncer é o regimento militar que é adotado para resolver "conflitos administrativos internos", a exemplo do caso recente na PMSE, onde oficial superior da instituição, devido a um conflito de entendimento, resolve"prender" um CABO que acabara de "PRENDER" cidadãos infratores, os que realmente agridem a sociedade, e como consequência dessa ação louvável do praça, o mesmo foi solicitar a reposição de munição gasta na ação policial para retornar ao seu lar e devido a isso gerou um desentendimento com o Comandante da Unidade, ocasionando a PRISÃO do policial.



A prisão administrativa é um mal absurdamente aplicado, em plenos dias de democracia explícita, onde flagrantes ladrões, assaltantes e demais infratores do CP não permanecem mais que 24 hs numa unidade prisional, mas o profissional da segurança pública, homem de linha de frente no combate à criminalidade, é obrigado a explicar a seus filhos que ficou uma noite ausente dos seus carinhos por que um cidadão que, por ser superior hierárquico militar, interpretou que este deveria ser preso, embasado num Código Penal Militar, defasado, desmoralizado e ultrapassado, este abraçado com o Código Processual Penal que em tempos de guerra já soam demasiados, quiçá em tempos outros.



Fatos dessa natureza geram um sentimento de nojo nas mentes dos demais homens e mulheres que fazem a base da SSP, profissionais que atendem diretamente à sociedade sergipana. E a consequência natural dessa repugnante atitude é uma DESMOTIVAÇÃO GENERALIZADA nos corações de todos nós praças, sangrados diariamente na árdua tarefa de superar as deficiências do estado (salários atrasados, plano de saúde deficitário, ticket alimentação humilhante) para prestar um bom serviço à população e ainda ter que se submeter aos caprichos de mentes ultrapassadas, protegidas pelo arcaico Militarismo nas instituições ostensivas de segurança pública.



Sentimento de impotência é o que nós estamos sentindo.



Abaixo o militarismo, avante o profissionalismo!



*Cabo da PMSE, lotado no 2º BPM de Propriá.





ARTIGO



Reflexão sobre o trabalho da Agência Nacional de Águas na atual gestão por Ailton Francisco da Rocha*



Tenho 21 anos de atuação na gestão de recursos hídricos, apenas um ano a mais da implantação da política nacional de recursos hídricos. Neste período de aprendizado, troca de experiências e conhecimentos, tive o privilégio de conviver com pessoas qualificadas, abnegadas e compromissadas com a causa. E, com certeza precisaria de um grande espaço para relacioná-las nesta singela homenagem. Permitam-me, então, reportar, neste momento, aos que fazem a atual diretoria da Agência Nacional de Águas, nas pessoas de Vicente Andreu (Diretor-Presidente), João Gilberto Lotufo, Paulo Varela, Ney Maranhão, Gisela Damm e Ricardo Medeiros, pela grande contribuição que deram a gestão dos recursos hídricos no Brasil, notadamente com o apoio da valorosa colaboração técnica da equipe que compõe essa Agência, dos órgãos gestores estaduais e dos colegiados (conselhos e comitês de bacias hidrográficas).



Neste sentido, destaco entre as muitas ações desenvolvidas, àquelas que a meu ver tiveram maior impacto: Progestão, Capacitação para a gestão da água, Interáguas, Produtor de Água, Procomitês, Projeto Legado, Prodes, Monitor de Secas, Fórum Mundial da Água; como também total transparência de acesso as informações, estudos e publicação com destaque para o Atlas de Abastecimento de Água e o Atlas do Saneamento Básico, fortalecimento dos instrumentos de gestão da água, aprimoramento do monitoramento com a implantação das salas de situação, dos diálogos permanentes com os atores envolvidos na gestão de crise dos rios São Francisco, Paraíba do Sul e Tocantins, culminando com a imensurável contribuição para a gestão de risco a partir da proposta que dispõe sobre as condições para a operação do Sistema Hídrico do Rio São Francisco (grifo nosso), de grande relevância para gestão dos recursos hídricos do Brasil.



Aos que chegam, aproveito o momento para deixar registrado alguns desafios: a) Incluir a comunicação, fiscalização e monitoramento como instrumentos de gestão; b) Integrar a gestão das águas superficiais com águas subterrâneas (irmãs siamesas) e as políticas setoriais; c) Estabelecer as vazões de entrega do rio São Francisco; d) Dar uma maior atenção a oferta da água, notadamente na preservação e recuperação das áreas de recarga dos nossos mananciais; e) Maior atenção nas bacias hidrográficas em crise recorrentes, minimizando o efeito nefasto da dupla dominialidade f) Aprimorar a governança com ampliação do diálogo permanente, entendendo GOVERNANÇA como uma nova geração de reformas administrativas e de Estado, que têm como objeto a ação conjunta, levada a efeito de forma eficaz, transparente e compartilhada, pelo Estado, pelas empresas e pela sociedade civil, visando uma solução inovadora dos problemas sociais e criando possibilidades e chances de um desenvolvimento futuro sustentável para todos os participantes; g) A participação dos municípios nos Conselhos Estaduais de Recursos Hídricos e nos Comitês de Bacia deve ser fortalecida, dado seu papel chave no uso e ocupação do solo, gestão de resíduos, licenciamento ambiental local e saneamento; h) Fortalecer institucionalmente os órgão gestores estaduais, entre outros.



Com relação a este último item (h), chamo a atenção que a Carta Magna de 1988, conhecida por todos nós como cidadã e municipalista, fortaleceu os municípios (transferindo o ônus e não o bônus) que apresentam na sua quase totalidade baixa capacidade técnica e fragilizou os estados, que inclusive deixaram de planejar, transformando a gestão pública no Brasil num caos com tendência a piorar (aliás este modelo de pacto federativo é único no mundo), chegando a comprometer o funcionamento e o bom desempenho das agências reguladoras de serviços, com exceção daquelas agências que regulam o bem natural, a exemplo da ANA (água) e ANP (petróleo).



Neste cenário, medida provisória está sendo preparada para que a ANA assuma a regulação dos serviços do saneamento básico, que sob o meu ponto de vista irá fragilizar a gestão dos recursos hídricos no nosso país, em detrimento da priorização da realização de força tarefa para equacionar o grande passivo daquele setor (saneamento básico), já que culturalmente temos uma tendência de acharmos que os nossos problemas são facilmente resolvidos pela engenharia civil (obras) em detrimento da governança (capital humano)?!



Sabemos que o domínio público da água não transforma o Poder Público Federal e Estadual em proprietário da água, mas o torna gestor desse bem, no interesse de todos e que, descontinuidades nas lideranças e representantes de alto escalão em órgãos públicos, sejam eles federais ou estaduais e comitês, causam sérios danos a qualquer processo de reforço das instituições de gestão da água.



Portanto aos que estão saindo, Vicente Andreu, João Gilberto Lotufo, Paulo Varela e Gisela Damm nossos parabéns e muito obrigado. Aos que ficam Ney Maranhão e Ricardo Medeiros, e aos que chegam boa sorte e sucesso, na esperança de que não devemos retroceder. Para isto devemos todos estar atentos e fortes, pois verás que um bom filho teu não foge à luta, BRASIL.



*Engenheiro Agrônomo, Advogado, Escritor e Superintendente de Recursos Hídricos da SEMARH/SE.





ARTIGO



Otávio Moura no Diário da Tarde





Por GILFRANCISCO: jornalista, pesquisador e professor universitário  http://gilfrancisco.santos@gmail.com



Otávio Moura Dias de Almeida nasceu em 27 de setembro de 1909, em Salvador, Estado da Bahia. Figura que militou na imprensa de Ilhéus de 1928 a 1972, portanto 44 anos, se dedicou inteiramente a Ilhéus através do Diário da Tarde. Otávio chegou a Ilhéus em 9 de fevereiro de 1928, com apenas 19 anos e no dia seguinte saía o primeiro número do Diário da Tarde, já tendo seu nome como redator. Logo depois, passaria a redator-chefe e, mais tarde diretor.  Otávio Moura foi o principal impulsionador do Diário da Tarde por quase meio século, ajudando o jornal a ultrapassar muitas dificuldades. O saudoso Diário da Tarde, fundado em 10 de fevereiro de 1928, circulou até o final da década de 1990. Apesar de ter o nome de Diário da Tarde, às oito horas da manhã já estava nas bancas de Ilhéus.



O jornalista Otávio Moura é um dos fundadores da agremiação literária Academia dos Rebeldes, que lançaram primeiramente a revista Meridiano, setembro de 1929 (único número) e O Momento (1931/1932), sendo publicados nove números. A Academia dos Rebeldes criada por um grupo de jovens entre os quais Jorge Amado, Sosígenes Costa, Edison Carneiro, Alves Ribeiro, Dias da Costa, Dias Gomes, Aydano do Couto Ferraz, Emanuel Assemany, Machado Lopes, Da Costandrade, Clovis Amorim, João Cordeiro e outros, tinha como presidente espiritual, o grande epigramista Pinheiro Viegas. Otávio estréia no grupo em Meridiano com dois textos em prosa: Idéias e O Elogio do grande homem.



Quando Otávio Moura publicou a crônica, Procópio no número 2 da revista O Momento (15 de agosto, 1931) sua estréia de uma série de quatro, o redator da revista, jornalista Emanuel Assemany fez uma ligeira apresentação aos leitores do mais recente colaborador: “Octávio Moura, que assina a presente colaboração, é um dos mais moços e mais vibrantes jornalistas da Bahia de hoje. É o redator principal do “Diário da Tarde” de Ilhéus, em cujas colunas, por mais de uma vez, tem demonstrado o seu grande valor como articulista e como panfletário, tornando-se admirado e temido, ao mesmo tempo, na bela cidade sulina. É, além disso, um cronista delicioso e um “conteur” dos melhores que possuímos. O seu estilo, nervoso, irônico, incisivo, tem algo da arte instantânea e perversa de um Daumier. Vejamos abaixo, com que displicência ele sabe fixar um “tipo” explorando toda a gama dos ridículos humanos”.



Em novembro de 1934 o crítico literário dos Diários Associados, Agripino Grieco, a convite de Jorge Amado realiza em Ilhéus várias conferências. Ao retornar a capital federal, registra através de sua coluna "Gente Amiga", seu contato com os intelectuais grapiunas, vejamos o que diz sobre Octavio Moura:



"Meus amigos de  Ilhéus mandaram um tinteiro de prata, com um cacau dourado, como recordação das conferências que ali fiz em novembro de 1934. Ponho tinta nesse tinteiro e a primeira coisa que me apetece é escrever um artigo sobre essas generosas criaturas do sul da Bahia.



Começaria pelo jornalista Octávio Moura, tem um ar de menino e já é chefe de família. Pelo físico, parece ninguém e, entanto, subscreve artigos ótimos. Fiem-se nele, na sua cabeleira e nas doçuras de violinista cigano com que fala as lindas raparigas! É um articulista que consegue infundir paixão nas idéias e a alegria de moço, longe de prejudicá-lo, muito concorre para robustecer-lhe o bom senso de polemista. Quando necessário, sabe ele também, nos seus sarcasmos, ser um artista em venenos, fazendo passar mãos quartos de hora àqueles que detesta. Fino registrador sismógrafico de tudo o que ocorre de interessante em Ilhéus, Octavio Moura, mau grado uns ares meio boêmios, organiza todo um jornal sozinho e quase sempre o organiza a primor" (1)



Em junho de 1981 na festa do centenário de Ilhéus, seu filho adotivo, Jorge Amado, companheiro de tertúlia de Otávio Moura, fez em praça pública uma “Declaração de Amor à Cidade de São Jorge de Ilhéus”, e sobre os dois amigos diz:



“Quero perambular vagabundo pelas ruas, com o poeta Sosígenes Costa, vindo dos mares de Belmonte para ser teu predileto, aquele que te engrandeceu e nos deu o dom maior da poesia eterna; Quero ir buscar Otávio Moura na redação do jornal para partirmos ao encontro das mulheres mais formosas nos becos mais esconsos.”(2)





Durante a Semana Santa de 1998, estive em Ilhéus a convite das professoras Maria de Fátima e Maria Inês Azevedo Pereira. Aproveitando a estada, fui à sede do Jornal Diário da Tarde, localizada à Rua Domingos Fernandes no centro da cidade, com o intuito de localizar alguma colaboração dos membros da agremiação literária, Academia dos Rebeldes, pois era do meu conhecimento que nele havia trabalhado desde a sua fundação, o poeta de Belmonte Sosígenes Costa (3).  O resultado foi positivo. Lá estavam todos: Alves Ribeiro, Dias da Costa, Edison Carneiro, José Bastos, João Evangelista Oliveira, Jorge Amado, Otávio Moura, Pinheiro Viegas e Sosígenes Costa.



No decorrer da manipulação do periódico fui surpreendido com uma coluna intitulada “Notas Sociais”, publicada diariamente, onde apareciam os registros de aniversários, enterramentos, nascimentos, noivados, viagens, falecimentos, visitas, sufrágios, casamentos, etc. Nela, um subtítulo, Diário de Sósmacos, de pequenas crônicas sociais, assinadas com o pseudônimo de Príncipe Azul. Logo nas primeiras leituras identifiquei o seu verdadeiro autor: Sósmacos era Sosígenes Marinho Costa.



Como estava pesquisando sobre Pinheiro Viegas e não dispunha de tempo para uma análise mais detalhada, tratei de registrar todos os títulos do Diário de Sósmacos, a partir de fevereiro de 1928 até março de 1929.  Convidado pela professora Eliana Muniz Chaves, do Colégio São Jorge dos Ilhéus, retornei mais uma vez a Ilhéus em fins de maio do ano seguinte, com a missão de recolher todas as crônicas do poeta Sosígenes Costa. Por quase duas semanas permaneci na redação do Diário da Tarde, reproduzindo da única coleção, já bastante desgastada pela ação do tempo, as quase trezentas crônicas e poemas de Sosígenes Costa. O resultado desta pesquisa foi à publicação pela Fundação Cultural de Ilhéus, em 2001, gestão do escritor Hélio Pólvora, durante as comemorações do centenário de nascimento do poeta de Belmonte e de Ilhéus, Sosígenes Costa, do livro Crônicas & Poemas Recolhidos (pesquisa, introduções, notas e bibliografia), com extensa memória sobre a Academia dos Rebeldes, em quase 500 páginas.



Modestíssimo, Otávio Moura era uma inteligência lúcida a serviço de um caráter integro a toda prova, em servir à Bahia, terra do seu berço. Pelo seu esforço, pela sua tenacidade, pela integridade de seu caráter, Otávio chegou a redator-chefe da folha. Vitorioso no jornalismo, o cronista do cotidiano sempre se valeu da sua própria experiência para chegar até o povo, tornando-se ele um intérprete consciente dos humildes e oprimidos. Era um escritor nascido de vocação flagrante, e como bom cronista nunca ocultou o poeta que embriaga de lirismo cada vez que fala da sua Ilhéus. Mas a inquietação intelectual que lhe sacudia o espírito, nitidamente percebível em suas várias crônicas que li no Diário da Tarde, com o mesmo prazer que as li pela primeira vez no periódico Meridiano (1929). Uma coisa é certa, na boa crônica o assunto é o que mesmo importa, serve apenas de pretexto, motivação de contar e comentar é a roupagem que o cronista dá ao episódio. Neste aspecto, Otávio Moura era mestre. Mesmo passados tantos anos, suas crônicas ainda conservam toda sua vivacidade, fez de Ilhéus uma oficina de artes e símbolos.



Tendo participação importante na fundação do jornal, juntamente com Carlos Monteiro, Francisco Dória e o advogado Eusinio Lavigne, Redator-Chefe do Diário da Tarde, Otávio Moura foi um dos mais importantes divulgadores da Academia dos Rebeldes, utilizando as páginas do seu matutino para publicar e divulgar as atividades intelectuais dos membros da agremiação. A fecunda atividade jornalística o fez com tal brilho e êxito, que isso lhe levou a ingressar na Academia de Letras de Ilhéus, ocupando a cadeira n°24, juntamente com Jorge Amado, Sosígenes Costa, Álvaro Melo e outros intelectuais da época. Otávio Moura exerceu alguns cargos públicos, como o de adjunto de promotor público na comarca de Ilhéus e inspetor seccional do Ministério da Educação.



O jornalista Fernando Leite Mendes, leitor assíduo de Otávio Moura, em uma de suas crônicas, “O segredo e a crônica”, do livro “Os olhos azuis de D. Alina e algumas crônicas” (1985), recorda-se da sua vivência em Ilhéus: “Lembrar Otávio Moura e seu pequeno grande jornal dos Dórias, escrevendo no dia-a-dia, a saga da espoliação da grandeza daquela região”. Era um homem sereno, tranqüilo, intenso com jeito de sonhador. Um ser entregue em carne e sangue a sua produção, esbanjando na província talento e uma cultura de boa base. Otávio Moura escrevia com facilidade e graça em cada frase, em cada imagem dos seus escritos. Mas o velho e cansado coração, deixou de pulsar no exato momento em que mais estremecia nos rasgos de bondade que tanto enobreceram a sua existência, e assim perdemos mais um “rebelde”.



Otávio Moura, homem do seu tempo que teve de criar um estilo próprio, escrevendo textos que depois de lidos, fixarem-se na memória de cada leitor, estilo direto, substantivo, com suas crônicas indestrutíveis, coladas em páginas escritas e fincadas na memória de um tempo. Otavio é um belo momento da crônica ilheense, que nos deixou aos 76 anos da sua idade, com o nome inscrito entre os mestres do jornalismo baiano. Colaborou em vários periódicos: Meridiano, Etc., Diário da Tarde, O Momento, entre outros.



A reunião de parte significativa de suas crônicas em livro, por mim organizado,   há muito esperado pelos ilheenses e pesquisadores do modernismo na Bahia, infelizmente não contou com a colaboração de amigos e, principalmente da família. Foram feitos inúmeros contatos, mas sem retorno.





  1 - O Jornal. Rio de Janeiro, 10 de março de 1935.

2 -   Salvador. Revista Exu nº 6 – novembro/dezembro, Fundação Casa de Jorge Amado (número especial sobre a região do cacau), 1988.

3 -   Para minha surpresa, encontrei em pleno funcionamento a velha impressora, a mesma que imprimiu o primeiro exemplar do Diário da Tarde, na manhã de 10 de fevereiro de 1928.





PELO TWITTER                                                                                                                                                                                                                  















www.twitter.com/Jrguzzofatos As coisas vão realmente mal num país quando você percebe que para produzir alguma coisa tem de pedir licença a quem não produz nada.



www.twitter.com/Frednavarro As pessoas que dizem querer “sair da zona de conforto” querem na verdade sair da zona. O “de conforto” é pura retórica.



www.twitter.com/Odeciocosta Hoje tem futebol. Se for dirigir não beba e se for beber eleja o amigo da vez ou vá de UBER. O problema do álcool e direção não é ter a CNH suspensa ou pagar a multa cara, o problema é você causar um acidente grave ou fatal. Reflita.



www.twitter.com/Thiagomuller Sabe o que é "bolha"? É quando um idiota compra alguma coisa cara pensando que vai haver um mais idiota ainda pra comprar dele ainda mais caro. Quando acabarem os idiotas, a bolha estoura.É isso que rola com o Bitcoin.







PRESIDENTE DA COMISSÃO CENTRAL  DO CONSELHO SUPERIOR DO IFS AMEAÇA ALUNO DENTRO DO IFS ARACAJU Por. Nelio Miguel Jr aluno do IFS



Hoje fui ao Instituto Federal de Sergipe, para entregar a comissão central do conselho superior da instituição, um recurso seguindo o cronograma estabelecido no edital, que dizia que o recurso deveria ser entregue no dia 06/12/17 das 9h ás 15h, cheguei por volta das 13h e não tinha ninguém para da o recebimento, após muito tempo identifiquei um membro da comissão central que disse que apenas o Álvaro Fontes da Silva Neto, Presidente da comissão, poderia da o recebimento, o mesmo não estava na instituição e pediu que aguardasse e assim foi feito.



Logo em seguida convidei os membros de uma chapa do conselho superior para me acompanhar e ser testemunha que ninguém teria recebido ate o devido momento ao recurso; os dois alunos me acompanharam ate a hora que chegou o Professor Álvaro, presidente da comissão,  chegando na instituição, por volta das 14:20. Na entrega do recurso, o presidente Álvaro questionou a presença dos membros da outra chapa e eu aleguei que eram minhas testemunhas, iniciou-se uma discursão, contestei porque o mesmo não estaria na instituição para receber o recurso e ele disse que as coisas não eram do meu jeito e sim como ele queria, voltei a questionar e perguntei  se leu o edital pois não era meu querer e sim  o que estava no edital, que deveria ter alguém de plantão das 9h até as 15h para receber o recurso.



Depois de falar varias palavras de baixo calão o professor e presidente da Comissão me ameaçou e disse que resolveria comigo fora da instituição, insinuou que resolveria comigo nas vias de fatos, ato que eu particularmente repudio acredito que a política – PRINCIPALMENTE ESTUDANTIL – deixou de ser física, aos socos e pontapés, e passou para a ideologia e de esclarecimento de ideias. É lamentável que um professor e presidente da comissão ainda esteja atrelado ao passado e reproduza práticas tão arcaicas e desprezíveis.

Gostaria de parabenizar o professor e membro da comissão Astrogildo Vieira de Jesus Filho que controlou toda a situação e conteve o presidente da comissão, parabéns Astrogildo por sua imparcialidade.



Amanha estarei prestando um B.O ( Boletim de Ocorrência ) na presença do meu advogado, como medida preventiva para que as ameaças do professor e presidente da comissão não venha a ser realizada.



Como disse Augusto Cury: “ Construí amigos, enfrentei derrotas, venci obstáculos, bati na porta da vida e disse-lhe: Não tenho medo de vivê-la.”



Seguem em anexo o áudio das ameaças do professor e presidente da Comissão Central.





Cláudio Nunes no Face e no twitter:



https://www.facebook.com/blogclaudionunes/



http://www.twitter.com/BlogClaudioNun



Frase do Dia

"Há três grupos de pessoas: aqueles que fazem as coisas acontecerem; aqueles que observam as coisas que acontecem e aqueles que se perguntam o que aconteceu." Nicholas Murray Butler, ganhador do prêmio Nobel da Paz em 1931, morreu em 07 de dezembro de 1947 (n. 1862).