Mais uma ideia ridícula do PT
13/04/2018



Vamos e convenhamos, o petismo consegue se superar em ridículo. A moda agora é acrescentar ao nome do político, o nome do próprio Lula: aqui em Sergipe, por exemplo, Ana Lúcia já virou Ana Lula e o deputado federal João Daniel acrescentou o Lula ao meio do seu nome. No plano nacional, os exemplos mais ridículos são Gleisi Lula Hoffman e o Senador Lindbergh, agora Lindbergh Lula. Aliás, Gleisi Hoffman consegue se superar em matéria de ridículo: estava ontem no Senado pedindo a contribuição entre quinhentos e mil reais para os filhos de Lula não “passarem fome”. Até onde se sabe, Lula não tem filhos pequenos a justificar tal assaque. Os dois mais velhos são homenzarrões que trabalham a não precisam destas migalhas. Até há poucos dias, Lulinha jactava-se pelo mundo afora dizendo que quem mandava neste país era seu pais, no caso o Lula da Silva. Depois do bloqueio de 30 milhões de reais a fonte secou e Lula não tem mais dinheiro para sustentar os próprios filhos. É quase impossível acreditar nesta história. Voltemos à troca de nomes:  isso é crime perante a lei, passível até de cadeia. Vai que esses políticos petistas levem para seus documentos essa troca não autorizada de nomes próprios, isso vira prevaricação... As únicas coisas que nossos pais nos legam para a vida toda é o nome e o sobrenome. Trocá-los por um políticoque ocasionalmente está na cadeia é um crime de lesa-pátria.



PF quer transferência de Lula



A Polícia Federal do Paraná já está pedindo a transferência do presidiário Luiz Inácio Lula da Silva para um outro local, pois não aguenta mais a confusão provocado pelos exército doStédile, acampado às margens da Delegacia da PF em Curitiba. Cada membro daqueles recebe uma diária em dinheiro vivo de R$ 30, para dar seu apoio ao Ex-Presidente. Sem falar que a noite eles capricham em arruaças, com muita música e arrasta-pé, não levando em conta que o local é um núcleo residencial.



Almeida acumula cargos



O Governador Belivaldo Chagas errou ao não demitir o Secretário de Estado da Saúde, o inefável Almeida Lima, quando soube  da inauguração “fake” do Centro de Nefrologia do Huse. Era tudo falso, dos equipamentos às cadeiras que adornavam o centro. Um Secretário que permite – e quem sabe se até não incentivou? – a falsificação de um centro de saúde não merece continuar a ostentar o título de Secretário da Saúde. Qual a confiança que se pode ter neste homem? O que ele não está aprontando  agora no seu escritório do Taj Mahal? Aliás, ontem descobriu-se mais uma do inefável Almeida Lima: ele acumula cargos, recebendo da mesma fonte pagadora, o Estado de Sergipe, os valores equivalentes a Secretário de Estado da Saúde e diretor-presidente da Fundação Hospitalar da Saúde.. Foi-lhe dada a oportunidade de  optar por um dos cargos, os dois não pode. Ele tem dez dias para fazer a opção. Perguntado a respeito, ele disse que ia consultar o governador para  ter dele a opinião de qual cargo deve optar. Será que ele teve a mesma preocupação de consultar o governador quando se investiu no segundo cargo?



Repasse do FPE teve aumento



O repasse do Fundo de Participação dos Estados (FPE) para o Estado de Sergipe, no terceiro mês do ano, alcançou R$ 224,8 milhões. Em termos relativos, quando comparado com março do ano passado, o repasse assinalou crescimento real de 20,1%, considerando o efeito da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Todavia, no comparativo com o mês imediatamente anterior, observou-se retração de 32,1%. Com os dados de março, as transferências acumuladas do FPE para Sergipe, no primeiro trimestre do ano, ultrapoassaram os R$ 812,3 ilhões, registrando alta de 3,5%, quando comparado com o mesmo período do ano passado. O repasse a todos os municípios sergipanos, através do Fundo de Participação dos Municípios, ultrapassou os R$ 85,1 milhões, assinalando alta real de 13,6%m em relação ao mês de março de 2017. No comparativo com o segundo mês do ano, verificou-se queda de 32,7¨. No acumulado dos três primeiros meses de 2018, o repasse do FPM totalizou R$ 308,4 milhões, com acréscimo real de 6,9%, em relação ao mesmo intervalo do ano anterior.



O  repasse ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), ficou acima dos R$ 50,8 milhões, registrando alta real de 78,5. Registrando alta real de 7,5%, em relação ao mesmo mês do ano passado. Quando comparado como o mês imediatamente anterior, observou-se  retração de 19,6%. No acumulado do ano andante (entre janeiro e março), os repasses somaram R$ 183,4 milhões, situando-se 2,2% acima do verificado em igual período do ano que findou. Todas as variações são em termos reais.



Portal de Serviços Agiliza Sergipe



Com o intuito de esclarecer dúvidas relacionadas ao uso às funcionalidades do Portal de Serviços Agiliza Sergipe – porta de entrada dos processos de Registro Público de Empresas – a Junta Comercial do Estado de Sergipe (Jucese) realizará na próxima segunda-feira, 16, um Fórum de Capacitação voltado para as empresas públicas e sociedades de economia de Sergipe. O Forum de Capacitação ocorrerá no auditório Iran Batista de Santana, na sede da Jucese, localizado na rua de Propriá, no centro de Aracaju, a partir das 9h, tendo como público alvo os servidores das empresas públicas e sociedades mistas responsáveis pelo arquivamento de atos de registro nas respectivas instituições. Pelo segundo ano consecutivo, a Jucese promove um Forum de Capacitação  focado nas empresas públicas e sociedades mistas de Sergipe. O primeiro teve como finalidade o repasse de informações e esclarecimento de dúvidas do ponto de visto da legislação, a exemplo de arquivamento de atas de assembleias ordinárias, extraordinárias; de Conselho de Administração; reunião de diretoria; comunicações.