Ramalho, do Sergipe: ‘a raça do time foi determinante’
15/04/2018













Ramalho ergue a taça do estadual: "criamos esse vínculo de time de guerreiros desde o começo"(foto: Igor Matheus/ Portal Infonet)


Líder do elenco do Sergipe dentro de campo, o volante Ramalho foi um dos símbolos da conquista do estadual de 2018. Pouco depois do apito final que sacramentou o 35º título do alvirrubro, o capitão colorado destacou o que mais contribuiu para que o Sergipe conseguisse sair campeão.



“A raça do time foi determinante. Criamos esse vínculo de time de guerreiros desde o começo”. Ramalho também frisou que o Sergipe mudou de postura ao longo do campeonato, mas soube voltar à sua característica. “Mudamos um pouco no Hexagonal. Deixamos de marcar, passamos a querer jogar. Quando acabou o Hexagonal, aí sim voltamos a ser o Sergipe do primeiro turno, onde o primeiro de tudo é a marcação. Era a característica do time. Não adianta dizer que o Sergipe é grande e tem que jogar pra cima. Tem que ter calma. Criamos essa coisa de marcação muito forte do meio pra trás”.



O volante também destacou o pacto que fez com atletas mais próximos para levar o título. “A gente é uma família aqui, mas às vezes criamos amizade maior com alguns. E eu pedi muito esse título para o Brendon, para o Diego Paulista, pro Claudio, pro Nino, que são praticamente meus irmãos mais novos. Eu disse que queria muito ser campeão e eles ficaram emocionados, pois me perguntavam por que eu queria ser campeão estadual tendo sido até bicampeão brasileiro em outras equipes. Mas sempre acreditei e acredito no Sergipe. E acho que não devemos só ficar no discurso de sermos ‘time grande’. Devemos ser profissionais”.



Por Igor Matheus