Times indefinidos
16/04/2018



A oposição sergipana tem pouco tempo para montar o time que enfrentará o governo nas eleições deste ano. A escalação dos candidatos ficou mais difícil depois que o senador Antônio Carlos Valadares (PSB) deixou a equipe oposicionista atirando pesado nos ex-aliados. Também do lado oposto ao governo, o PV rompeu uma anunciada aliança com o partido Rede Sustentabilidade, enquanto o carimbo de “ficha suja” pode tirar do jogo possíveis adversários do governador e pré-candidato à reeleição Belivaldo Chagas (PSD). A situação dos governistas é mais confortável, contudo o excesso de postulantes às duas vagas para o Senado pode desmontar o time que vem sendo escalado cuidadosamente pelo ex-governador Jackson Barreto (MDB). Diante disso, é prudente aguardar as convenções, quando os times serão oficialmente escalados para o duro confronto eleitoral de outubro.



Rei da rejeição



Pesquisa Datafolha aponta que 86% os eleitores não votam nem amarrados num candidato apoiado pelo ainda presidente Michel Temer-Treme (MDB). Péssima notícia para o deputado federal André Moura (PSC), que tem a imagem associada à do mordomo de filme de terror. Pior ainda pra André, se tiver que pedir votos para a reeleição do cavernoso presidente. Crendeuspai!



Boca de siri



E quem parece ter feito voto de silêncio foi o ex-governador Jackson Barreto (MDB). O homem não abre a boca desde o último dia 7, quando renunciou o mandato para disputar uma cadeira no Senado. Amigos próximo de JB, garantem que ele está descansando as cordas vocais para, no momento certo, botar a boca no trombone. Aguardemos, portanto!


Vade retro



O PSTU quer ver Jair Bolsonaro (PRG) com os direitos políticos cassados e enclausurado num xadrez. Em nota, o partido defende que o Supremo Tribunal Federal condene o presidenciável por racismo contra negros, indígenas, mulheres, LGBTs e refugiados. Segundo o PSTU, “se Bolsonaro não for punido severa e exemplarmente, o STF se desmoralizará”. Aff Maria.



Já vai tarde



O governador Belivaldo Chagas quer mesmo ver pelas costas o ainda secretário da Saúde, Almeida Lima. Veja o que ele respondeu ao radialista Gilmar Carvalho quando indagado por qual motivo não consultor Almeidinha antes de escolher o novo superintendente do Hospital de Urgência de Sergipe: “Eu não tenho que ouvir o secretário depois do que eu vi dentro do HUSE”. Misericórdia!



André vaiado



E o forrozeiro Alcymar Monteiro ficou na maior saia justa ao pedir aplausos para o deputado federal André Moura (PSC). O público que lotava a casa de show Gonzagão, em Aracaju, vaiou por longos minutos, só parando quando Alcymar mudou o tom da proza e voltou a cantar seu forrobodó. Danou-se!



Fora sujismundos



O deputado federal Fábio Mitidieri (PSD) fustiga os políticos fichas sujas: “Esse eleição tem que ser marcada pela coerência, honestidade, capacidade e competência dos candidatos. Nomes sujos com discurso limpo não passarão”. Nem precisa dizer que os políticos sujismundos estão por aqui com Mitidieri. Marminino!



Mais rápido



Agora, cheques de qualquer valor passam a serem compensados em um dia útil. Antes, os cheques de até R$ 299,99 demoravam dois dias úteis para “cair” na conta das pessoas físicas, empresas, ou favorecidos. Mudanças em relação ao cheque especial também vão ocorrer, mas a partir de 1º de julho. Pelas novas regras, os bancos terão de oferecer uma alternativa mais barata para parcelamento do saldo devedor do cheque especial. Melhor assim!



Olho por olho



O uso da força por parte da polícia é apoiado pela metade da população. Pesquisa do Datafolha mostra que 50% das pessoas concordam com a afirmação “bandido bom é bandido morto”. A faixa mais velha da população, com 60 anos ou mais, é a que tem maior aceitação da força letal. Segundo a pesquisa, 65% concordam com a morte de criminosos e apenas 30% são contrários.



Trem fantasma



O pré-candidato a deputado federal José Carlos Machado (PPS) vai ter muito que se explicar aos eleitores. Ex-vice-prefeito de Aracaju, ele está entre os denunciados à Justiça por terem, segundo o Ministério Público, colocado um trem fantasma nos trilhos da Prefeitura. Não dividem: este vergonhoso episódio será usado na campanha eleitoral pelos adversários de Machadão.



Mudança dos tempos



Iniciada há anos, a reforma física da Catedral Metropolitana de Aracaju se arrasta lentamente, sem prazo para ser concluída. Do outro lado da cidade, segue em ritmo acelerado a construção da Catedral da Fé, obra bancada pelos fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus.



Recorte de jornal













Publicado no jornal aracajuano Folha da Manhã, em 23 de junho de 1928


Resumo dos jornais