Pais de bebê trocado na maternidade vão acionar Justiça
16/05/2018













Inquérito trata caso como erro administrativo. Não haverá indiciados pela polícia (Foto: Portal Infonet)


Os pais do bebê trocado na maternidade Nossa Senhora de Lourdes, vão acionar a Justiça para realização de novo exame de DNA no feto, já que o primeiro laudo solicitado pelo Instituto Médico Legal (IML) foi considerado inconclusivo. Os pais pretendem ter a garantia de que vão sepultar o corpo do filho e punir os responsáveis pela troca do feto. De acordo com o inquérito policial, já concluído, o DNA não foi preciso porque o feto já se apresenta em estado avançado de decomposição.



“Já estão dando o caso como concluído, mas nós queremos outro DNA para termos a certeza que é nosso filho. Quem me garante que meu filho não foi trocado na maternidade antes de ir ao necrotério?”, desabafou o pai, Bruno Sotero. A posição do delegado Fernando José no inquérito policial é de não indiciar nenhum funcionário, considerando o fato como erro administrativo.



Na segunda-feira, 14, os fetos dos bebês gêmeos, que também foram submetidos ao processo de DNA e, neste caso, houve êxito, foram sepultados novamente.



Relembre o caso



No dia 23 de dezembro, a maternidade deu entrada em seu próprio necrotério três corpos, um oriundo de parto singular, de um feto de cinco meses, e dois irmãos gêmeos. Os pais dos dois irmãos receberam um deles e o feto que nasceu sozinho, de outra mãe. Quando a família desse outro bebê foi retirar o corpo do necrotério, foi informada que ele já não estava mais lá.



Um boletim de ocorrência foi prestado pela SES na 8ª Delegacia de Polícia Civil e, no dia 19 de janeiro, os corpos dos dois bebês entregues à família dos gêmeos foram exumados [desenterrados] para que fossem realizados os exames de DNA através dos corpos dos bebês e das famílias.



Por Ícaro Novaes